Estratégia em 6 Etapas (e Meia) – Senior Noroeste Paulista

 

BLOG / NOTÍCIAS > Arquivos

 

Estratégia em 6 Etapas (e Meia)


Data: 3 de janeiro de 2024

Esse tipo de título sempre costuma atrair leitores por sugerirem algo simples e fácil de fazer. Bom, não é o que vou entregar esse texto. Por mais que estejamos falando de 6 etapas (e meia), não quer dizer que elas sejam rápidas e fáceis de serem realizadas. Há 10 anos desenhando planejamento estratégico, uma coisa é certa: todo ano é um aprendizado e um aprimoramento do modelo. E a cada ano que se passa, a certeza de estar mais próximo do modelo ideal. O modelo ideal? Ainda não conheço, pois administração não é uma ciência exata, e sim uma série de simulações, hipóteses, tentativas, erros e acertos.

Porém, uma coisa que tenho consciência e foi fruto de aprendizado ao longo desses 10 anos é o seguinte. Planejamento estratégico não é feito sozinho. Quanto maior envolvimento de toda a empresa (sim, de toda a empresa), mais chances de acertar. O sentimento de pertencimento faz com que o nível de engajamento na busca de resultados se multiplique inúmeras vezes. Acredito que nessa etapa planejamento 23/24 tenha acertado mais principalmente nessa etapa. Vamos lá.

Primeira etapa – Liderança

Reúna seus líderes e explique o porquê iniciaremos o planejamento. Defina as etapas junto com eles e explique o passo a passo que será realizado bem como suas datas e prazos. Solicite que toda informação seja repassada aos liderados, aos times. Envolva-os e faça com que eles também envolvam seus times. Gosto muito do conceito de Mente Mestra de Napoleon Hill, que firma o compromisso de todos com um propósito em comum, e esclarece que a soma de todos em torno desse propósito é maior que a soma individual de cada um.

Segunda Etapa – A famosa SWOT

Apesar de antiga, ainda sou fã da Análise SWOT. Atualmente ela pode ser convertida em atributos, que foi o que fizemos. Definimos atributos valiosos, avaliamos erros e acertos do passado e mapeamos nossas principais deficiências. Tudo isso com o objetivo de tentar enxergar um pouco mais o futuro e clarear quais são os principais pontos que devemos dedicar nosso foco para o próximo ciclo. A definição desses atributos nos fez entender o que não podemos perder em nossa essência, o que temos de mais importante e também onde erramos mais para não cometermos as mesmas falhas nunca mais.

Terceira etapa – Tentando enxergar o futuro

Todo curso de Administração e Planejamento traz o Modelo de Negócios como uma ferramenta chave para início das operações. Porém, um exercício pouco praticado é tentar enxergar o modelo de negócios futuro de um negócio já existente. Confesso que, com muita ajuda de IA, definimos nosso modelo de negócios futuro, tentando enxergar possibilidades, tendências e como devemos nos adequar (e rápido) a tudo que está batendo a nossa porta e que por muitas vezes ficamos presos apenas ao que estamos vivenciando.

Quarta Etapa – OKRs

Após definição e fixação de um propósito forte, partimos para a definição de nossos objetivos e resultados chave. Como evidenciamos que atingiremos esse propósito? Encontramos 4 grandes objetivos que nos nortearão ao longo do ano e para cada um deles, resultados chaves de todas as áreas visando atingir tais objetivos. O trabalho será em conjunto, onde todas as áreas precisam do desempenho das demais para que a organização atinja seu propósito. Na sequência, os líderes envolveram seus times explicando os objetivos e resultados e também criando as metas individuais, todas focadas no propósito geral.

Quarta Etapa e meia – Projetos Estratégicos

Essa chamo de quarta etapa e meia porque ela ocorreu “sem querer” no meio da etapa anterior. À medida que os OKRs foram sendo definidos, encontramos vários projetos estratégicos que precisamos realizar para transformar o nosso modelo de negócio vislumbrando o futuro que queremos atingir.

Quinta etapa – O Orçamento

Com objetivos e projetos definidos, chegou a hora de ver quanto isso vai custar e se está dentro das margens que a organização deseja atingir. Cada área elaborou seu orçamento baseando-se em tudo aquilo que foi previamente alinhado, partindo de um OBZ (orçamento base zero). Após três ou quatro revisões (que também podem ser chamados de cortes), o orçamento final foi aprovado e devolvido aos líderes para sua própria gestão orçamentária no exercício seguinte.

Sexta etapa – Divulgação

Por último, encerramos nosso planejamento estratégico divulgando à toda empresa em um evento único como tudo isso irá ocorrer. É o momento onde todas as áreas tomam conhecimento do que será feito pelas outras áreas, os resultados do ano anterior são divulgados de forma consolidada e o objetivo geral é formalizado.

Enfim, para que tudo isso ocorra, é necessário engajamento e disciplina. Reuniões não são desmarcadas e são classificadas como prioridades. A ausência de um membro não pode causar cancelamento nem reagendamento. Como disse, é uma “Mente Mestra”, e todos estão em busca de um único objetivo, um propósito.

Nosso propósito é Gerar Evolução para Pessoas e Empresas. Todos estamos focados dia a dia em fazer isso acontecer.


Autor(a): Fabiano Ferreira