Manuella Carbonaro – Senior Noroeste Paulista

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

A importância dos dados: Big data e analytics. Conheça agora!


Uma nova técnica de tratamento de dados vem ganhando cada vez mais espaço entre as organizações. Trata-se do big data e analytics, uma modelagem de informações que consiste no armazenamento de um alto volume de dados para que sejam feitas análises posteriores. O objetivo é identificar insights úteis para alavancar os resultados de um negócio.

Este artigo fala melhor a respeito desse assunto. Ao ler o texto, você entenderá porque isso pode ser uma vantagem de mercado para as empresas, conhecerá mais a fundo o conceito que ronda a tecnologia e saberá quais são as vantagens e como implementar um big data de forma eficaz em uma companhia.

Pronto para a leitura? Então aproveite o artigo!

 

Porque os dados trazem vantagem competitiva a um negócio?

Atualmente, não é mais nenhuma grande novidade que uma estratégia baseada em dados pode alavancar qualquer negócio. No entanto, é preciso ter uma estratégia para desenvolver as soluções certas, pois do contrário, o alto volume de informações apenas trará distração para os departamentos empresariais.

É nesse ponto que o conceito de big data se torna importante, pois os processos são orientados desde a coleta de informações. O objetivo é construir um armazém de dados que permita o processo posterior de analytics, ou seja, a implantação de uma análise detalhada de inteligência de negócios.

 

Qual é o conceito de big data e analytics e como funciona?

Acompanhe a seguir o que significam os 5 V’s que conceituam o big data.

 

Volume

O armazenamento de dados no big data e analytics ocorre em uma escala altamente grande. Isso quer dizer que é preciso ter uma boa estrutura de guarda das informações, além de métodos eficazes que resolvam o desafio de selecionar os dados que realmente importam para um determinado ramo de negócios.

Velocidade

Outro conceito com o qual o big data precisa se preocupar é em relação a velocidade na qual os dados são gerados. Diariamente, bilhões de buscas são feitas em mecanismos de procura de informação. A interação dos usuários na rede gera um volume de dados que necessita de velocidade em seu processamento.

Variedade

Além disso, existe também a tratativa dada aos diferentes tipos de informações que são coletadas na rede. Os dados vêm de fontes diversas e nem sempre obedecem a um padrão que atenda a todos. Sendo assim, também é preciso lidar com a variedade existente entre todas as informações que são captadas antes de inserir no big data.

Valor

A captura e armazenamento de dados tem um grande potencial de gerar valor para os negócios. Por meio de uma análise criteriosa, poderosos insights são revelados, de modo a balizar as decisões estratégicas de uma companhia. No entanto, é preciso saber também quais informações terão utilidade para uma determinada empresa.

Veracidade

Por fim, faz-se necessário constatar a veracidade dos dados coletados. A depender da fonte que os originou, eles podem ter serventia ou não na medida em que são válidos ao negócio. Por isso, a verificação de autenticidade da fonte precisa ser bem feita para que as informações sejam verídicas e confiáveis.

 

Quais são as vantagens trazidas por esse tipo de tecnologia?

Entre os benefícios trazidos por um big data e analytics, é possível identificar um processo de tomada de decisão mais assertivo, uma melhor gestão de riscos e inovações eficientes. Acompanhe a seguir em maiores detalhes.

Melhora na tomada de decisão

A análise feita em um grande volume de dados permite tirar conclusões a respeito de uma série de fatores importantes para um negócio. Muitas vezes, a empresa sequer sabe que pode usar esse grande banco de dados em seu favor.

Ao usar o big data e analytics, é possível traçar um melhor perfil do consumidor, por exemplo. A partir disso, decisões estratégicas sobre o rumo da companhia podem ser alicerçadas no processo de inteligência de negócios. Isso pode gerar grandes faturamentos atendendo a anseios de consumo que antes não eram conhecidos.

Gestão de riscos

Outro forte benefício conseguido com o big data é a prevenção de perdas financeiras que ocorrem por meio de fraudes e inadimplência. Ao analisar grandes volumes de dados, pode-se ter uma noção mais exata sobre o risco de fechamento de determinado negócio. Isso é especialmente útil para organizações do setor financeiro.

Inovação

A análise de dados pode trazer insights que levam ao desenvolvimento de novos produtos. E isso não está relacionado apenas ao atendimento das satisfações dos consumidores, pois também pode ser usado para medir a eficiência de determinadas aplicações. É o que acontece na indústria aeronáutica, por exemplo, ao medir o rendimento de novos propulsores a jato.

 

Como é possível implementar um big data e analytics em uma organização?

Toda empresa que deseja implantar a tecnologia de um big data e analytics precisa começar escolhendo as ferramentas certas. Nesse sentido, uma boa recomendação é buscar por uma solução em nuvem, pois isso dispensa altos investimentos em infraestrutura física representada por equipamentos.

Definida essa parte da estratégia, chega o momento de fazer um certo alinhamento de expectativa. Isso quer dizer que é preciso saber qual é o objetivo do negócio em relação ao armazenamento de dados e posterior análise. Sem isso, a atividade pode se tornar mais um obstáculo do que uma solução e vem daí a necessidade da congruência entre a estratégia de dados e a estratégia do negócio.

Por fim, é necessário atuar com agilidade. A tecnologia e o mercado estão em constantes mudanças. Por isso, a análise de dados corre o risco de se tornar obsoleta se não for efetuada em um prazo que os dados sejam considerados “com efeito”. Senão, o armazenamento pode não ter serventia alguma.

Aplicar o big data e analytics em uma organização tem o potencial de trazer inúmeros benefícios. Como muito se diz, “os dados são o novo petróleo”. No entanto, apenas armazenar informações sem ter critérios claros e específicos pode não ser nada produtivo. Para que a estratégia dê certo é preciso considerar alguns aspectos, como o uso de ferramentas adequadas, o alinhamento da estratégia e uma atuação ágil o suficiente para captar as tendências de mercado.

 

Gostou do conteúdo? Então aproveite e deixe seu comentário indicando o que pensa a respeito desse incrível tema sobre big data!

 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

Software e logística: parceria perfeita para gestão da cadeia de suprimentos


A cadeia de suprimento na logística é um processo que engloba operações mais específicas, direcionadas especialmente para a logística, que envolve transporte, armazenagem, execução e logística reversa, ou seja, é o gerenciamento do produto até a chegada no mercado.

Para que a cadeia de suprimentos seja bem administrada, é importante contar com uma correta gerência de fluxo de bens, de caixa, dos serviços e das inúmeras informações que fazem parte de uma rede de atividades. 

Quer entender melhor a importância de um software na logística? Acompanhe!

 

Como funciona a cadeia de suprimentos na logística?

Há certa dúvida de onde inicia a logística e onde inicia a cadeia de suprimentos. Por isso a necessidade de saber como esse processo acontece. É importante compreender que elas estão ligeiramente ligadas. 

A cadeia de suprimentos na logística deve acontecer por meio do controle dos fluxos da cadeia desde o recebimento até a expedição do produto, Com isso, a sequência das atividades garante o nível de serviço. É imprescindível fazer o controle dos fretes, das frotas e visualizar as entregas em tempo real, para concluir a linha de trabalho com eficiência e satisfação do cliente.   

 

Qual a relação entre logística e cadeia de suprimentos?

Podemos dizer que as duas formam um conjunto de atividades que se complementam. Por isso, é importante que ambas estejam alinhadas para que todas as etapas do processo não sofram traumas que possam interromper o andamento das atividades.

A cadeia de suprimentos tem a incumbência de aplicar metodologias e sistemas operacionais que estão unidos ao produto, mesmo que indiretamente, como depósitos, inventários, compras que estão presentes desde a produção até a pós-venda, para verificar a satisfação do cliente.

Já a logística é responsável por todo o trâmite do produto, desde a sua confecção até a entrega ao cliente. O seu maior compromisso é o cumprimento dos prazos de entrega.

 

Por que o uso da tecnologia é importante?

Com o avanço tecnológico, podemos dizer que já é impossível administrar os processos das empresas sem os recursos digitais. A automação das atividades se tornou uma essencialidade. Essa estratégia diminui o tempo de demanda, reduz o quantitativo de erros e potencializa as etapas da logística.

Adotar um software, por exemplo, na cadeia de suprimentos é a decisão ideal para obter a integração das informações e a celeridade na execução dos trabalhos. Isso acontece em decorrência das boas práticas por meio do sistema de gestão, da coleta da análise de dados e devido a outras atuações indispensáveis nos processos da cadeia de suprimentos. Veja o que pode ser implementado na empresa:

  • robótica e automação na última milha;
  • propagação do big data na logística;
  • campo da internet das coisas;
  • wearables;
  • tecnologias de realidade aumentada;
  • armazenamento e computação em nuvem;
  • tecnologia de dados distribuídos e a blockchain.

 

Como vimos, a cadeia de suprimento na logística requer cuidados um tanto minuciosos para que alcance resultados positivos em todas as suas fases. Poder contar com um software especializado é fundamental para que o processo seja célere e assertivo. O software da Senior Noroeste, por exemplo, é um sistema que realiza o controle total de cada etapa da operação logística.

Compreendeu como um software pode contribuir de forma significativa com a logística da sua empresa? Então, que tal fazer contato conosco? Estamos aptos a transformar os processos logísticos do seu negócio!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

ERP Financeiro: a favor de sua empresa!


Em tempos de desafios e incertezas, implantar um ERP Financeiro faz total sentido. Esse sistema é uma incrível ferramenta de gestão que auxilia o empreendedor na administração de recursos do seu negócio. Vale ressaltar que ele torna as tarefas automatizadas, aumentando assim a eficiência operacional.

Na prática, o sistema administra todas as entradas de receitas e despesas. Além disso, dá para identificar os gargalos, gastos desnecessários, e inclusive, oportunidades para o gestor alavancar os seus lucros. Deseja saber mais sobre esse assunto? É só curtir a leitura deste post. Confira!

 

Quais as principais funcionalidades de um ERP financeiro? 

Um sistema ERP financeiro serve para pequenas ou grandes empresas. Suas dezenas de funções focam na coleta, armazenamento e processamento das informações. Ao automatizar os processos, as tarefas se tornam muito mais simples de serem executadas, facilitando assim, o gerenciamento do negócio.

O ERP financeiro traz empoderamento para o gestor. O acesso às informações de forma prática permite a tomada de decisões mais rápidas e de maneira assertiva. Isso resulta em operações mais lucrativas e sustentáveis. Por isso, conheça suas principais funcionalidades:

1. Organiza o fluxo de caixa

Gerir recursos é uma tarefa complexa. É preciso planejar, organizar e definir qual é a melhor alternativa para o uso dos fundos. Na prática, isso se chama organização do fluxo de caixa.

Ao implantar um ERP financeiro, além de organizar o fluxo de caixa, o empreendedor usa os dados para a tomada de decisões envolvendo diversas fontes de financiamentos, investimentos e, inclusive, as atividades ligadas à gestão de caixa.

2. Gera relatórios 

Dispor de um ERP financeiro, é ter as informações integradas em um único banco de dados. Na hora de tomar decisões, com apenas simples cliques, é possível acessar relatórios valiosos sobre o empreendimento.

Vale ressaltar que a capacidade de integrar as informações representa um potencial incrível, pois possibilita a emissão de relatórios personalizados que permitem avaliar as condições da empresa sob a perspectiva do macro e micro ambiente.

3. Controla as contas a pagar e a receber

Um sistema ERP equilibra vários processos conhecidos por obrigações financeiras. Ele rastreia, armazena e analisa dados como as contas a pagar e a receber, orçamentos e até previsões.

A vantagem é que o sistema automatiza alguns processos como o de cobranças, além de registrar, de forma automática, a quitação de débitos. Sendo assim, com um ERP Financeiro, sua empresa agiliza tarefa importantes em tempo oportuno.

4. Cadastra clientes e fornecedores

O diferencial do ERP financeiro é a extensa catalogação de clientes e até fornecedores. É possível validar os parceiros comerciais, centralizando a gestão de documentos, contratos, certificados e demais informações.

E mais, se o ERP financeiro é integrado com um CRM, dá para agregar dados de relacionamento com fornecedores. Sendo assim, você tem na palma de sua mão dados qualificados para análise dos negócios e possibilidade de novas propostas.

 

Investir na implementação de um ERP financeiro é uma atitude inteligente. É uma maneira de adaptar o seu empreendimento à transformação digital contando com o uso da tecnologia para atingir melhores resultados. Logo, com uma ferramenta dessa em sua empresa, além de garantir uma eficiente gestão dos recursos, é possível apresentar diferencial competitivo perante a concorrência.

 

Gostou do conteúdo? É só compartilhar em suas redes sociais!

 

 

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

Qual é a importância de uma gestão de escalas automatizadas em clínicas e hospitais? Confira!


Uma tarefa da administração em hospitais tem especial relevância frente as demais. Trata-se da gestão de escalas. É ela quem determina os horários que os profissionais atuarão durante o funcionamento da instituição. Em um ambiente de trabalho que nunca para, é preciso que haja precisão e ordem na atribuição de cada colaborador.

Este artigo mostra como é possível encontrar mais eficiência automatizando esse processo. Ao ler o texto, você entenderá melhor porque os processos automáticos são tão importantes em hospitais. Conhecerá quais são as escalas mais utilizadas e saberá que vantagens são conseguidas com a automação.

Pronto para a leitura? Então prossiga!

 

Qual é a importância de automatizar os processos hospitalares?

Os ambientes de trabalhos de hospitais e grandes clínicas têm algumas particularidades que precisam ser consideradas. A principal delas certamente é o ritmo de trabalho. Normalmente, seu funcionamento se dá 24 horas por dia e 7 dias por semana, tudo isso visando uma boa assistência à vida de quem precisa de socorros.

Nesse sentido, gerenciar as escalas de trabalho é um desafio à parte para a administração dessas instituições. A boa notícia é que tudo isso pode ser melhorado por meio da automação. Procedendo dessa forma, é possível ter mais agilidade, diminuir o absenteísmo e se isentar de processos trabalhistas que normalmente custariam muito dinheiro. Essas são apenas algumas das vantagens que mostram a importância de adotar uma gestão de escalas automáticas em hospitais.

 

Quais são os principais modelos de escalas praticados em hospitais?

Existem diversos tipos de escalas praticadas em hospitais. Por seu regime diferenciado, não é incomum que uma contabilidade externa tenha dificuldades no momento de fazer os cálculos de pagamentos de salários. Acompanhe a seguir os principais modelos de escalas existentes

12 por 36

Esse é o modelo de escala mais praticado em hospitais. Trata-se de uma formatação que favorece a troca de turnos em jornadas ininterruptas. Normalmente, o horário mais adotado pelas insituições para fazer a troca de profissionais é de 7:00 as 19:00 e de 19:00 as 7:00, com os colaboradores trabalhando 12 horas seguidas e descansando 36.

5 por 1

Nessa modalidade, o profissional trabalha 5 dias na semana com direito a um dia de folga. É precisa dar atenção ao fato de que a jornada de um único dia nunca deve ultrapassar o tempo de 7 horas e 20 minutos. Também é necessário que exista a presença de um colaborador folguista que cobrirá o descanso dos demais.

5 por 2

Esse modelo é análogo ao explicado anteriormente. Também são trabalhados 5 dias na semana, mas com dois dias de folga. Essa modalidade é adotada quando o turno de trabalho precisa ser um pouco maior, nunca ultrapassando o limite de 8 horas e 48 minutos.

 

Quais são os benefícios de tornar a gestão de escalas automáticas?

Acompanhe a seguir uma breve explicação sobre as vantagens de automatizar a gestão de escalas.

Melhor gestão do absenteísmo

Instituições hospitalares de maior porte costumam ter problemas frequentes em relação à falta de funcionários em seus expedientes de trabalho. Os motivos são os mais variados possíveis, indo desde doenças e questões familiares até mesmo o estresse, passando pela mentalidade de direito. Este último ocorre quando um colaborador se sente no direito de faltar.

Enfim, não há como escapar do absenteísmo, ele sempre existirá. A questão nesse tópico é que a automação na gestão de escalas é capaz de melhorar o gerenciamento das faltas por meio de mecanismos de reposição, seja de funcionários ou de bancos de horas. Isso ajuda a diminuir o prejuízo ocasionado pelas ausências.

Mais agilidade no planejamento

É muito comum que haja necessidade de troca de pessoas em determinado turno, até mesmo pelo absenteísmo explicado no item anterior. Assim, o planejamento das escalas costuma demandar tempo e esforço, além da necessidade de comunicar todos os profissionais envolvidos.

Com uma gestão automática, praticamente todos esses problemas desaparecem. Na medida em que os envolvidos dispõe de plataformas de comunicação, fica mais fácil fazer o processo de gerenciamento. Dessa forma o planejamento das escalas ganha mais agilidade e a gestão se torna mais eficiente.

Controle de horas extras

Muitos funcionários podem se sentir inclinados a aumentarem a quantidade de horas extras trabalhadas. Isso ocorre geralmente por conta de um eventual valor pago a maior. Dessa forma, não ter um bom controle sobre essa variável pode acabar afetando financeiramente a instituição hospitalar.

Existem também outras questões de muita importância em relação ao excesso de horas extras trabalhadas. A má qualidade nos relacionamentos com os colegas de equipe, a procrastinação de tarefas e um baixo desempenho de qualidade são alguns dos problemas. Em um ambiente que lida com vidas humanas, ter uma gestão automatizada ganha ainda mais relevância.

Previne contra processos trabalhistas

Mesmo depois da saída de um funcionário de uma instituição hospitalar, pode haver prejuízo ao caixa da organização. Quando isso ocorre, muitas vezes é por meio de uma ação judicial e, em vários casos, os pedidos estão relacionados a pagamentos de horas extras não reconhecidas quando do vínculo empregatício.

Hospitais que não tem um bom controle da jornada de trabalho de seus funcionários tendem a perder essas causas. Já com uma gestão de escalas automática, esse problema pode ser afastado. Uma vez que os registros são gerados por dispositivos e programas automatizados, há como fazer a devida comprovação das horas realmente trabalhadas.

Evita turnover

Existem ainda situações nas quais a rotatividade de funcionários é bastante alta. Muitas vezes os processos repetidos de admissões e demissões de funcionários estão relacionados a uma falta de clareza na gestão de escalas. Isso pode ser solucionado com um processo automatizado.

Na medida em que os colaboradores sentem que sua alocação prévia de trabalho é respeitada e obedecida, os conflitos dessa natureza desaparecem. Isso torna o ambiente de trabalho mais harmonioso, reduzindo as chances de novas demissões por motivos ligados a escala de trabalho. E isso contribui financeiramente para a organização, já que o turnover costuma ter um alto custo.

 

A gestão de escalas de um hospital não precisa ser feita de um modo tradicional que esteja susceptível a falhas. Pelo contrário, pode ser usada tecnologia para aperfeiçoar o processo e trazer grande ganho financeiro para a instituição. Ao fazer o controle das escalas com o auxílio de softwares modernos, o ambiente organizacional pode ser melhorado, o absenteísmo reduzido e o atendimento se tornar mais humanizado.

Gostou do conteúdo? Então aproveite e compartilhe o artigo em suas redes sociais, ajudando a divulgar este conhecimento!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

5 maiores erros cometidos na gestão de pessoas


Fazer uma boa gestão de pessoas é um enorme desafio. Identificar potencialidades, desenvolver talentos, alinhar metas e operar dezenas de ações fazem parte do cotidiano do setor. Logo, o gestor precisa estar atento para que os chamados erros comuns não afetem o desempenho da organização.

Para dar conta da dinâmica do RH com eficiência, a gestão de pessoas passa a ser mais estratégica. Nesse sentido, evitar erros significa poupar tempo e dinheiro, pois suas consequências geram enormes transtornos. Deseja saber mais sobre esse assunto? É só reservar aquele cafezinho e curtir a leitura deste post. Confira!

 

5 maiores erros cometidos na gestão de pessoas

Acreditar que o maior erro de um gestor é não treinar sua equipe é um pensamento arcaico. É muito mais que isso! Na maioria das vezes, os líderes estão despreparados para gerenciar processos que gerem resultados e isso pode ser algo fatal e levar a consequências irreparáveis.

Pensando nisso, é bom saber quais são os 5 erros mais comuns e entender como evitá-los para não cair nessa armadilha!  

 

1. Ações aleatórias e sem alinhamentos  

A realização de ações de maneira aleatória no RH, sem alinhamento e objetivos claros, prejudica significativamente, chegando até a perder sua eficácia. Esses são erros muito comuns na gestão. Por isso, uma forma de evitar é por meio de um planejamento com atividades estratégicas, focadas em resultados e que reforcem os valores organizacionais.

 

2. Comunicação sem clareza

Outro ponto que se encaixa no mundo dos erros é a comunicação sem objetivos claros. A consequência é o mal-entendido que leva ao desequilíbrio das relações de trabalho, prejudicando a produtividade e os resultados organizacionais. Para evitar, pense assim: será que estou transmitindo a mensagem de maneira objetiva?

 

3. Falta de Feedback

A falta de feedback leva à desmotivação dos colaboradores. Imagine que na sua empresa tem um funcionário com notável desempenho. No entanto, você não reconhece o seu trabalho. O que é provável acontecer? Ele perder o entusiasmo. Quer evitar tal situação? Tenha a prática de monitorar e parabenizar a sua equipe e também dar os famosos “puxõezinhos de orelha”, quando necessário, sempre visando o melhor desempenho de todos.

 

4. Processo de recrutamento e seleção sem critérios

Ter um processo de recrutamento e seleção sem critérios pode gerar vários problemas. Um deles é a contratação de colaboradores que não atendem aos requisitos da vaga. Como efeito negativo, provavelmente eles serão desligados em um período curto de tempo. Isso gera perda de tempo, custos financeiros, desestabiliza a equipe e ainda atrasa o fluxo de trabalho.

 

5. Foco exagerado nos resultados

Um erro imperdoável é quando o gestor guia suas decisões baseadas apenas em resultados. Além de desmotivar a equipe, ele ainda perde a confiança dos colaboradores antigos e, principalmente, dos recém-contratados.

Vale ressaltar que esse é um dos motivos de desligamento de muitos talentos. Para evitar, defina metas possíveis de serem alcançadas e motive os funcionários que os resultados serão surpreendentes. Aproveite e comemore em grande estilo!

 

O uso da tecnologia favorece a gestão de pessoas para uma atuação mais estratégica, evitando, assim, possíveis erros. Falando nisso, a Senior Noroeste Paulista dispõe de soluções inteligentes e customizadas para potencializar os resultados do seu RH por meio de um incrível sistema de gerenciamento. 

Deseja otimizar as operações da gestão de pessoas com menor risco de erros? Quer obter os melhores resultados? É só entrar em contato com os nossos especialistas. Será um enorme prazer atendê-lo!

 

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

Indicadores de recrutamento e seleção: métricas importantes!


Os indicadores de recrutamento e seleção medem a eficiência das contratações.  Eles compõem um conjunto de métricas de destaque, pois sua minuciosa análise permite que o gestor tome decisões mais assertivas e, inclusive, trace as melhores estratégias para o departamento.

Indo mais além, os indicadores de recrutamento e seleção são os responsáveis pela captação dos melhores profissionais do mercado. Eles também tornam os processos seletivos mais curtos, eficazes e sem desperdício financeiro. Curioso para saber mais sobre esse assunto? É só curtir a leitura deste post. Confira!

 

Métricas para análise dos indicadores de recrutamento e seleção

Existem 5 métricas que devem ser aplicadas no cotidiano das organizações. Elas contribuem para um processo seletivo mais rápido, confiável e alinhado com as necessidades da empresa. Descubra agora quais são!

1. Quantitativo de currículos recebidos

A aplicação dessa métrica tem seu grau de importância, pois se trata de encontrar o candidato ideal para o preenchimento da vaga. Sendo assim, os números sinalizam se os requisitos foram adequados. Por isso, vale considerar os seguintes pontos relevantes:

  • a vaga de trabalho foi divulgada em meios de comunicação eficientes?
  • a descrição do cargo foi bem elaborada pelo setor de RH?
  • a empresa atrai os bons profissionais do mercado? 

Se as respostas forem positivas, a triagem dos candidatos atinge a capacidade de identificar e atrair profissionais diferenciados para sua empresa.

2. Tempo destinado às contratações

O tempo médio para o recebimento de currículos merece destaque entre as métricas. Qualquer gestor sabe que processos seletivos demorados implicam em maiores gastos financeiros e, inclusive, falhas durante as etapas.  

Portanto, se o gestor está com dificuldades para captar determinado número de candidatos, é sinal que ele precisa traçar novas estratégias para a vaga.

3. Custo com rotatividade de colaboradores

Avaliar a rotatividade é um item indispensável. Essa métrica permite calcular as despesas com rescisões de contratos, custos com contratações e, inclusive, investimentos na qualificação dos colaboradores. Feito isso, é possível entender se o processo é eficaz. Agora, acompanhe as perguntas:

  • os processos internos estão bem alinhados?
  • salários e benefícios correspondem aos praticados no mercado?

As respostas são satisfatórias? Para conferir essas informações, é só dividir os gastos pelo quantitativo de renovações efetuadas. Portanto, o resultado representa o custo com rotatividade!

4. Número de processos finalizados no prazo

Definir um tempo para a finalização de tarefas é algo importante, principalmente no setor de recursos humanos. Falando nisso, se as vagas disponíveis demoram para serem preenchidas, pode ser sinal de problema para atrair talentos.

Portanto, para definir o percentual de atrasos, o gestor deve dividir o quantitativo de processos atrasados pelo número de vagas e multiplicar por 100!

5. Taxa de turnover nas novas contratações

Se ainda não sabe, a taxa de turnover está associada à rotação de talentos. Sendo aplicada em contratações novas, dá para medir alguns processos. Um deles são:

  • qualidade dos processos seletivos;
  • eficiência do onboarding (treinamento de novos colaboradores nos primeiros dias de trabalho);
  • capacidade da empresa reter novos talentos.

Para saber se sua empresa está no caminho certo, é só dividir o quantitativo de colaboradores demitidos pelo número de talentos contratados.

 

Por tudo que representam, os indicadores de recrutamento e seleção assumem o papel de métricas estratégicas do RH por ser um processo capaz de captar incríveis talentos e, sobretudo, propõem melhorias que contribuem para a conquista dos melhores resultados organizacionais.

Gostou do post? É só compartilhar em suas redes sociais!

 

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

Descubra como ser um gestor de sucesso em 5 passos


Com o mercado muito mais competitivo, quem está à frente das decisões da empresa precisa se preocupar cada vez mais em ser um gestor de sucesso, conduzindo a organização ao crescimento contínuo e a um futuro próspero.

Pensando em ajudar você nessa missão, preparamos 5 dicas de como alcançar o sucesso na sua gestão, melhorando os resultados. Quer saber quais são elas? Continue lendo e descubra! 

1. Invista tempo em planejamento

O primeiro passo para ser um gestor de sucesso é, sem dúvida, investir tempo em planejamento estratégico. Muitas empresas não conseguem acertar os processos porque falharam no momento de traçar os planos.

Sendo assim, é fundamental começar por aí, definindo os objetivos e metas da empresa, fazendo análises de mercado e determinando quais serão os passos para chegar. Além disso, é preciso estabelecer como acompanhar os resultados e ajustar o planejamento quando necessário. 

2. Oriente a empresa à inovação

Outro ponto imprescindível é ter foco em inovação. Quando falamos de inovação, estamos falando de tecnologia sim, mas não apenas de tecnologia, mas de monitorar frequentemente os métodos utilizados para melhorá-los por meio de novas formas de fazer as mesmas coisas ou mudanças nos procedimentos.

Sendo assim, você pode e deve utilizar ferramentas de qualidade, como a métrica NPS, para verificar os processos, medindo a eficiência deles, a satisfação de clientes e colaboradores. A partir daí, é possível traçar estratégias de aprimoramento, encontrando métodos mais produtivos e também implementando tecnologia. 

3. Automatize os seus processos 

Falando em uso da tecnologia para melhorar processos, não podíamos deixar a automatização de fora dessa lista. Substituir tarefas onerosas por automáticas é o caminho. Nesse sentido, você precisa procurar por sistemas que possam substituir os humanos em demandas que não agregam valor ao negócio.

Além de economizar o tempo da equipe, tornando o trabalho mais produtivo — afinal, todos estão focando naquilo que realmente importa, a automatização diminui custos, e também evita erros humanos e retrabalhos. Isso reflete diretamente nos resultados, já que tudo se torna mais rápido e eficiente. 

4. Reveja as métricas periodicamente

Até pincelamos esse aspecto quando falamos de planejamento, porque de fato é impossível fazer gestão sem medir resultados, afinal, como você vai saber se está alcançando as metas da forma pensada e dentro do prazo estipulado? Lembra que é preciso definir indicadores para acompanhar o desempenho do planejamento? Pois bem. 

A atuação da empresa não é algo estático e gestão não é uma ciência exata. Sempre há eventos no mercado, mudanças no público consumidor e tudo isso precisa ser considerado. Sendo assim, é preciso ir ajustando o planejamento e as métricas periodicamente, combinado?

5. Faça parcerias estratégicas

A última dica para ser um gestor de sucesso é contar com as melhores parcerias e ser estratégico para garantir os melhores resultados para a empresa. O ideal é que você não aplique esforços naquilo que não faz parte do business, encontrando experts no assunto para ajudar nos desafios da gestão

Um bom exemplo disso é implementação da tecnologia a favor do negócio: você pode e deve contar com uma empresa que pensa, implementa e auxilia nessa questão, como a Senior Noroeste. Quer saber como alcançar a eficiência nos processos da empresa? Entre em contato e descubra como podemos ajudar! 

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

Open Banking: inovação para o sistema financeiro.


O mercado financeiro está mudando bastante e um dos fatores para isso é o open banking. Mas você sabe do que se trata? Quais são os benefícios e o conceito dessa mudança? Quais são os impactos nas empresas e para os consumidores? Quer saber tudo isso? Continue a leitura deste artigo e descubra!

O que é open banking?

O open banking é uma proposta de padronização e integração de todo o sistema financeiro no Brasil. A ideia é construir um ambiente integrado, seguro e transparente para que a comunicação entre diferentes instituições financeiras se torne mais simples e eficiente. A tecnologia é o que possibilita tudo isso, otimizando todas as operações e processos necessários para colocar o conceito em prática.

Como a própria tradução livre do termo indica — sistema bancário aberto —, a ideia é democratizar e tornar todo o mercado financeiro mais transparente. A redução de custos é um exemplo de benefício para as instituições, assim como a maior autonomia para criação de produtos e serviços mais atrativos para os clientes finais.

Quais são os benefícios do open banking?

Mas, na prática, como o open banking vai modificar o cenário do mercado financeiro? Confira!

Custos menores

Com o open banking, o sistema se torna mais fluído para todas as instituições que quiserem fazer parte do ambiente. Assim, operações se tornam muito mais em conta para as empresas, o que acaba se refletindo em melhores resultados financeiros e, é claro, a possibilidade de cobrar menos dos consumidores finais.

Incentivo à modernização do setor financeiro

Ter informações mais completas sobre os clientes impacta diretamente no valor e na experiência que as instituições podem oferecer para ele. O objetivo é, dessa forma, criar produtos e serviços cada vez mais personalizados e relevantes para o consumidor. Sem achismos, tudo feito a partir da análise de dados e informações relevantes sobre o comportamento do público-alvo.

Segurança das informações

O vazamento de informações e dados sigilosos é uma dor de cabeça para muitas instituições. Afinal, um erro pode significar a perda da confiança de todo o mercado naquela empresa. Com o open banking, todo o sistema se torna muito mais seguro, proporcionando mais garantias para as instituições de que o seu sistema está sempre protegido.

Aumento da competitividade e transparência

Outro ponto positivo é o aumento da competitividade no mercado. Empresas que não têm uma base tão grande de clientes podem competir com as instituições mais dominantes. Como? A partir do acesso aos serviços e produtos que podem ser adicionados aos seus portfólios ou até mesmo com a análise de informações e detalhes sobre os consumidores.

Empoderamento do cliente

Esse cenário de alta competitividade também se reflete na oferta de preços mais atrativos para os consumidores. Ou seja, pegar um empréstimo para fazer o financiamento de um veículo, por exemplo, pode se tornar uma operação mais barata, já que mais ofertas estarão disponíveis. Em resumo, o cliente passa a acessar portfólios mais completos e com valores mais atrativos.

 

Quer saber mais sobre os impactos da transformação digital no seu negócio? Entenda como o a inteligência de dados pode ajudar a sua empresa!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

6 vantagens de implementar a admissão digital


A admissão digital consiste em fazer o processo de contratação de novos colaboradores utilizando o meio digital. Implementamos ferramentas e recursos tecnológicos para que o recrutamento e a seleção sejam realizados total ou parcialmente de forma online. 

As vagas podem ser divulgadas pela internet, os currículos podem ser recebidos através de e-mails ou plataformas apropriadas para a seleção, um sistema ajuda a encontrar e selecionar os melhores candidatos, as entrevistas podem ser online, assim como os testes entre outras etapas que compõem o processo de admissão. 

Como utilizamos a tecnologia de uma forma intensa, conseguimos conquistar diversas vantagens para o time de RH e a empresa de um modo geral. Preparamos este conteúdo para que você saiba quais são essas vantagens. Confira!

Agilidade nos processos

O meio digital tem como uma das suas principais características o fato de trazer mais agilidade para o dia a dia das pessoas e empresas. Por isso, para o departamento pessoal se torna possível fazer a admissão de novos talentos de uma forma rápida, eliminando etapas burocráticas e morosas que exigem, por exemplo, o comparecimento ao local e o envio de documentos físicos. Aproveitamos melhor o tempo.

Praticidade na gestão de documentos

O time de RH também passa a não precisar lidar com pilhas de currículos em papel e outros documentos que são solicitados para os candidatos. Tudo isso é feito em formato digital, o que possibilita uma gestão muito mais organizada, trazendo mais praticidade na hora de consultar e armazenar as informações. Inclusive, reduzindo o uso de espaço físico.

Redução de tarefas operacionais

A admissão digital também é muito vantajosa porque, como dito, utilizamos diversas ferramentas e recursos tecnológicos. Assim, o RH não precisa focar em tarefas operacionais e repetitivas, que podem ser realizadas pelo próprio sistema. O departamento pessoal se torna muito mais analítico e passa a trabalhar com dados e inteligência.

Processo mais sustentável 

Reduzimos de uma forma significativa o consumo de papéis, o que ajuda a minimizar os custos com esse insumo, tinta para impressão, cópias e até mesmo energia elétrica, criando um processo muito mais sustentável e econômico.

Economia de tempo

Explicamos que o sistema utilizado para fazer a admissão digital realiza diversas tarefas operacionais. Ele mesmo pode buscar os candidatos comparando o perfil com as exigências de cada vaga. Seleciona os currículos, faz o envio automático de e-mail e mensagens, entre muitos outros. Isso ajuda a reduzir o tempo do processo de contratação. 

Sem falar que as entrevistas e aplicações de testes podem ser feitas utilizando a internet. Não sendo necessário atender cada candidato de forma presencial. Fatores que também vão contribuir para economizar um tempo precioso de deslocamento, trânsito, atrasos e outros imprevistos que podem ocorrer.

Mais produtividade para o RH

Por tudo isso, o RH se torna mais produtivo na gestão de pessoas e documentos, na tarefa de procurar e selecionar os novos talentos. Seu trabalho ganha em qualidade, pois o sistema ajuda a evitar erros e retrabalhos, faz uma seleção minuciosa dos candidatos e podemos trabalhar com base em dados. As contratações ficam mais alinhadas com a cultura da empresa.

Apesar de todas essas vantagens, não podemos esquecer de que a admissão digital precisa observar aquilo que está previsto na Lei Geral de Proteção de Dados, também chamada de lei LGPD. Afinal, é preciso garantir o sigilo das informações do candidato, além de respeitar a sua privacidade. 

Portanto, na hora de implementar a admissão digital, tenha o cuidado de contar com uma boa plataforma para realização desse processo. Assim você garante que a LGPD será cumprida, bem como as leis trabalhistas; além de proporcionar um processo mais prático e confiável, com ótimas soluções de automatização e gestão para o seu time de RH. 

A tecnologia é uma grande aliada das empresas atualmente. Veja como ela pode ampliar os resultados do negócio trazendo ainda mais benefícios.

 

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Autor: Manuella Carbonaro

 

Inteligência de dados: entenda como ela pode ajudar a sua empresa


Hoje, as informações comerciais estão no centro das operações financeiras e comerciais. As empresas e os investidores estão constantemente em busca de dados que possam transformar as informações financeiras e da empresa em valiosos insights de negócios. É aqui que a inteligência de dados entra em jogo.

Ela é definida como todas ferramentas e métodos utilizados para coleta e análise de dados. O objetivo geral envolvido em inteligência de dados para empresas é melhorar os serviços e produtos, bem como aumentar os lucros.

Neste artigo nós explicamos o que é essa estratégia e como ela pode ajudar a sua empresa!

O que é inteligência de dados?

Data Intelligence é o resultado de uma análise profunda dos dados de uma empresa usando tecnologias avançadas como IA, Machine Learning e outras ferramentas de dados. Ajuda as empresas a um envolvimento significativo e análise de seus dados para extrair percepções incisivas em muitas áreas, incluindo:

  • visão de 360 graus de seu negócio ou processo específico;
  • impulsione a transformação dentro da organização;
  • entender seus clientes;
  • criar produtos ou serviços.

Quais são os benefícios para as empresas?

A inteligência de dados é usada tanto por empresas quanto por investidores. No entanto, cada um deles utiliza e aproveita técnicas e estratégias de inteligência de dados por uma série de razões diferentes, todas com base em KPIs, objetivos etc. variáveis. Aqui estão alguns exemplos de casos de uso que atraem profissionais do setor para o emprego de inteligência de dados:

  • as tendências de mercado podem ser previstas com análises de negócios avançadas, melhorando o investimento e as decisões gerenciais;
  • a inteligência de dados permite que as empresas lidem com grandes volumes de dados com a ajuda de aprendizado de máquina e outros métodos e ferramentas de inteligência artificial;
  • as empresas podem aprimorar isso com a ajuda de dados alternativos brutos, dados históricos e tecnologia avançada de IA;
  • a inteligência de dados ajuda a analisar a base de clientes existente e potencial, melhorando assim a geração de leads, as taxas de conversão e a retenção de clientes;
  • também ajuda a tornar os processos de negócios mais eficientes, fornecendo uma melhor compreensão do que funciona e o que precisa ser mudado, o que também leva à eficiência de custos.

Como implementar uma estratégia de inteligência de dados na sua empresa?

Agora que você sabe o que é a inteligência de dados e quais são os benefícios dela para os negócios, confira um passo a passo básico para adotar essa estratégia.

Defina seus objetivos

Uma estratégia de inteligência de dados é um projeto que permite a qualquer empresa medir seu desempenho, expor deficiências, melhorar as vantagens competitivas e usar mineração de dados e análises para uma tomada de decisão bem-sucedida.

Defina os principais indicadores de desempenho

Depois de coletar informações suficientes, é importante definir os KPIs que você vai rastrear em toda a empresa e aqueles para rastrear dentro dos departamentos. Seus KPIs devem ser mensuráveis, combinando com seus objetivos e vitais para atingir suas metas de negócios.

Encontre o melhor software para suas necessidades

A seleção de ferramentas varia de acordo com os requisitos e o orçamento. No entanto, é crucial entender e avaliar esses fatores ao escolher uma solução de software:

    • você tem acesso aos dados e uma visão conveniente das informações relevantes?
    • este sistema oferece integração com os sistemas existentes ou APIs para se conectar aos seus sistemas?
    • você pode colaborar com outras pessoas na análise de dados e compartilhar análises visualizadas?
    • você será capaz de se aprofundar nos dados e descobrir novos insights por conta própria?

Concluindo, a inteligência de dados não é apenas uma palavra da moda que acompanha IA, aprendizado de máquina e big data. Ela está crescendo como uma estratégia obrigatória para organizações e empresas, independentemente do tamanho. Seu valor em lidar com dados de forma inteligente e sua capacidade de digerir grandes quantidades de dados e tirar conclusões precisas ajudarão as empresas a obter uma visão sobre estratégias criativas e benéficas para o futuro.

E já que estamos falando em dados, continue no nosso blog e saiba como um ERP pode ajudar uma pequena empresa!

NOSSAS POSTAGENS