Artigo – Senior Noroeste Paulista

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Antes dos Números: Organizando os Bastidores para o Sucesso Empresarial


No mundo empresarial, a busca pela eficiência e pelo sucesso sustentável é uma constante. Muitas vezes, empresas almejam automatizar processos, implementar sistemas, fazer o acompanhamento por indicadores ou ainda estabelecer uma controladoria para melhorar sua gestão e tomada de decisões. No entanto, antes de adentrar nesse caminho, é crucial que as organizações compreendam a importância de estabelecer e consolidar seus processos internos.

Processos Internos: A Base do Sucesso Empresarial

Antes de começar a medir e controlar, é essencial garantir que os processos fundamentais da empresa estejam bem definidos e funcionando de maneira eficaz. Isso inclui desde os processos operacionais até os administrativos, abrangendo áreas como produção, logística, finanças, recursos humanos, entre outras. Processos bem estabelecidos fornecem uma base sólida para a automatização e acompanhamento de indicadores que sejam um bom reflexo da realidade.

Identificando Ineficiências e Corrigindo Falhas

Ao consolidar os processos internos, as empresas têm a oportunidade de identificar e corrigir falhas e ineficiências que podem estar prejudicando sua operação. Isso pode envolver a eliminação de atividades redundantes, a padronização de procedimentos e a automatização de tarefas repetitivas. Ao otimizar os processos, a empresa se torna mais ágil e eficiente, preparando o terreno para uma gestão mais eficaz por meio de indicadores e controladoria.

Cultura Organizacional e Excelência Operacional

A definição de processos não se resume apenas a documentos e fluxogramas; ela também envolve a criação de uma cultura organizacional voltada para a excelência operacional. Quando os funcionários entendem e seguem os processos estabelecidos, a empresa desenvolve uma cultura de disciplina e comprometimento, fundamentais para o sucesso a longo prazo. Essa cultura organizacional é essencial para o sucesso da implementação de sistemas e para o acompanhamento de indicadores mais complexos.

Preparando o Terreno para o Sucesso Sustentável

Somente quando a empresa tiver passado pelos passos anteriores, ela estará preparada para implementar uma controladoria eficiente, implantar sistemas e automatizar processos. Dessa forma, será possível obter dados valiosos sobre o desempenho da empresa em diferentes áreas, permitindo uma tomada de decisão mais embasada e orientada por evidências. No entanto, se a definição e consolidação dos processos não ocorrer de forma clara e eficiente, os dados fornecidos pelos sistemas utilizados podem ser imprecisos ou pouco confiáveis.

Conclusão: Pavimentando o Caminho para o Sucesso Sustentável

Em conclusão, antes de buscar automatizar processos, implementar sistemas, fazer o acompanhamento por indicadores ou ainda estabelecer uma controladoria, as empresas devem dar importância para estabelecer e consolidar seus processos internos. Isso proporciona uma base sólida para as operações, reduz falhas e ineficiências, cria uma cultura organizacional de excelência operacional e prepara o terreno para uma gestão mais eficaz baseada em dados. Ao investir tempo e recursos nessa etapa inicial, as empresas estarão pavimentando o caminho para o sucesso sustentável a longo prazo.

 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Transformação Tecnológica: Tendências Emergentes em Software ERP e HCM


A evolução tecnológica está redefinindo os sistemas empresariais, especialmente no âmbito do software de Planejamento de Recursos Empresariais (ERP) e Gerenciamento de Capital Humano (HCM). As tendências atuais nestas áreas, como a integração da inteligência artificial (IA), análise preditiva e computação em nuvem, estão revolucionando a forma como as empresas operam e gerenciam seus recursos.

Inteligência Artificial: O Poder da Automatização e Insights Avançados

A inteligência artificial é uma das tendências mais impactantes. Nos sistemas ERP e HCM, a IA está sendo usada para automatizar processos manuais, aprimorar a tomada de decisões e fornecer insights valiosos por meio da análise avançada de dados. Nos departamentos de recursos humanos, a IA está auxiliando na triagem de currículos, na personalização da experiência do funcionário e na identificação de padrões de desempenho.

Análise Preditiva: Antecipando o Futuro com Base em Dados

Outra tendência importante é a análise preditiva, que está sendo incorporada aos sistemas ERP e HCM para prever tendências futuras com base em dados históricos. Essa capacidade de prever possíveis cenários permite às empresas antecipar demandas de mercado, prever problemas de produção ou identificar tendências de rotatividade de funcionários, agindo proativamente para mitigar riscos e tomar decisões estratégicas.

Computação em Nuvem: Flexibilidade e Escalabilidade para um Mundo Conectado

A computação em nuvem é uma tecnologia que tem revolucionado a forma como os sistemas ERP e HCM são implementados e acessados. A flexibilidade e escalabilidade oferecidas pela computação em nuvem permitem às empresas acessar seus sistemas a partir de qualquer lugar, facilitando o trabalho remoto e a colaboração entre equipes distribuídas.

Personalização e Experiência do Usuário: Adaptando-se às Necessidades Específicas

Além dessas tendências, a personalização e a experiência do usuário estão ganhando destaque nos sistemas ERP e HCM. As soluções estão se tornando mais adaptáveis, permitindo às empresas personalizar interfaces e funcionalidades de acordo com suas necessidades específicas, melhorando a usabilidade e a eficiência dos sistemas.

Em resumo, as tendências atuais em tecnologia ERP e HCM estão transformando a forma como as empresas gerenciam recursos e talentos. A inteligência artificial, análise preditiva, computação em nuvem e a ênfase na personalização estão impulsionando a inovação e possibilitando a criação de processos mais eficientes e adaptáveis às demandas do mercado.

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

RH Estratégico: A Chave para o Sucesso das Organizações


Você já parou para pensar sobre a importância de um RH estratégico dentro das empresas? Muitas vezes, essa área é vista apenas como um setor burocrático, responsável apenas pela contratação de novos colaboradores e pelas questões trabalhistas. No entanto, o RH vai muito além disso e tem um papel fundamental no crescimento e sucesso das organizações. Neste artigo, iremos discutir a importância de um RH estratégico e como ele pode impactar positivamente os resultados da empresa.

  • Objetivos e Metas
    Um RH estratégico é aquele que está alinhado com os objetivos e metas da empresa. Ele não apenas contrata novos talentos, mas também desenvolve estratégias para a gestão de pessoas, buscando o máximo potencial de cada colaborador e garantindo que eles estejam alinhados com a cultura e valores da organização. Além disso, esse setor é responsável por trabalhar na retenção de talentos, buscando manter os melhores profissionais dentro da empresa, evitando assim a perda de conhecimento e expertise.
  • Cultura e Clima Organizacionais
    Além de garantir que a empresa esteja cercada de colaboradores talentosos e engajados, o RH estratégico também é responsável por criar um ambiente de trabalho saudável e motivador. Sabemos que funcionários motivados são mais produtivos e engajados com os objetivos da empresa. Para isso, é necessário que a área de Recursos Humanos esteja atenta às necessidades dos colaboradores, criando políticas e programas de bem-estar e qualidade de vida, construindo uma cultura sólida e inclusiva.
  • Gestão de Talentos
    Outro aspecto importante do RH estratégico é a Gestão de Talentos. Uma empresa só alcança o sucesso quando possui profissionais capacitados e que possuam as habilidades necessárias para cumprir as demandas do mercado. Nesse sentido, o RH deve estar constantemente buscando novos talentos, seja por meio de processos seletivos, parcerias com instituições de ensino ou manter programas de desenvolvimento interno.
  • Alinhamento e Gestão
    Por fim, mas não menos importante, um RH estratégico também é responsável por realizar um acompanhamento constante dos resultados e impacto das estratégias de gestão. Mas para que tudo isso ocorra de forma eficaz, é necessário o apoio dos líderes da organização. Os líderes desempenham um papel vital nesse processo, devendo estar alinhados com os objetivos e comprometidos com a implementação efetiva das políticas de RH.

Portanto, diante das constantes mudanças no mundo corporativo, a adoção de práticas de RH inovadoras e focada nos valores da organização é mais do que uma necessidade; é uma estratégia fundamental para o crescimento e a sustentabilidade. A evolução do RH é, sem dúvida, um caminho contínuo de aprendizado, adaptação e aprimoramento.

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Governança Corporativa e Sucessão em Pequenas e Médias Empresas


A governança corporativa é crucial para empresas de todos os tamanhos, inclusive para as pequenas.
Embora constantemente esteja associada a grandes corporações, seus princípios são igualmente relevantes para negócios de todos os portes e agregam valor.

Alguns pontos-chave que temos considerado sobre governança corporativa em nossa empresa, á partir de experiências vividas, observação e aprendizado constante:

1. Transparência e Prestação de Contas:

– Estabelecer processos claros de prestação de contas e transparência nas operações é fundamental. Isso inclui manter registros financeiros precisos, relatórios regulares e divulgação transparente de informações relevantes.
– Líderes competentes e confiáveis são essenciais.

2. Estrutura Organizacional:

– Definir papéis e responsabilidades é crucial, mesmo em empresas pequenas. Uma estrutura organizacional clara ajuda na tomada de decisões e na definição de autoridade.

3. Consistência e Compliance:

– Adotar práticas consistentes e estar em conformidade com regulamentações e leis aplicáveis é essencial. Isso inclui desde questões tributárias até regulamentos trabalhistas.

4. Planejamento Estratégico:

– Desenvolver e manter um plano estratégico ajuda a orientar o crescimento e a direção da empresa. Isso envolve definir metas de curto e longo prazo, bem como ajustá-las conforme necessário.
– Esse ponto sempre teve destaque na nossa empresa. Desde sua criação e ao longo de 17 anos, é indispensável que o PE seja realizado com envolvimento de toda a empresa.

5. Planejamento Sucessório:

– O planejamento sucessório é especialmente crucial em empresas familiares ou pequenas, pois define quem assumirá a liderança ou propriedade da empresa no futuro. Isso inclui identificar sucessores, prepará-los e estabelecer processos de transição suaves.
– Esse tópico exige muita perspicácia, entrega, paciência e grande doação: não é um processo fácil “deixar de mandar”, principalmente em empresas de menor porte onde a figura do dono se confunde com a própria empresa e com sua estrutura de poder e estratégia.

6. Conselho Consultivo ou de Administração:

– Mesmo para empresas menores, considerar a formação de um conselho consultivo ou de administração pode trazer diversas perspectivas e expertise externa. Esse conselho pode oferecer orientação valiosa para o crescimento e a governança da empresa, além de ser um pilar para suportar o CEO e executivos da empresa.

7. Cultura Organizacional:

– Promover uma cultura que valorize a ética, a integridade e a responsabilidade é essencial. Isso influencia a maneira como os funcionários, stakeholders e a comunidade percebem a empresa.
– Em nossa empresa temos trabalhado bastante com valores que consideramos essenciais para o alinhamento e prática da nossa cultura organizacional.

8. Captação de Recursos e Financiamento:

– Ter políticas financeiras claras, especialmente no que se refere à captação de recursos e ao financiamento, ajuda a manter a estabilidade e a viabilidade financeira da empresa.
– Evoluímos bastante com Executivo Financeiro trabalhando arduamente e com competência esses aspectos das finanças empresariais, que, de fato, precisavam ser priorizadas e tratadas assim.

9. Avaliação e Melhoria Contínua:

– Realizar avaliações periódicas do desempenho da empresa, da governança e dos processos internos é crucial. Isso permite identificar áreas de melhoria e implementar mudanças necessárias.
– Avaliações, busca constante de evolução são indissociáveis da boa governança. Praticar e se preparar para aceitar e conviver são desafios dos gestores.
– Bons processos de avaliação permitem que realizemos com competência (“fazimento”) o que foi estabelecido no PE.

10. Comunicação Eficaz:

– Estabelecer canais de comunicação eficazes entre os diferentes níveis hierárquicos, funcionários, diretores e stakeholders é vital para o sucesso da governança.

– Fundamental e busca constante em nossa empresa, a comunicação, em especial com os colaboradores é um desafio que deve ser enfrentado pelos enormes benefícios percebidos.
A implementação de práticas de governança corporativa em empresas pequenas pode ser um desafio, mas traz benefícios significativos a longo prazo, incluindo maior credibilidade,
sustentabilidade e preparação para possíveis desafios. O planejamento sucessório, em particular, assegura a continuidade do negócio e a preservação dos valores e objetivos da empresa ao longo do tempo.

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Sistemas Integrados: Aliados Estratégicos na Busca por Práticas Sustentáveis nas Organizações


A busca por práticas sustentáveis tornou-se um objetivo central para muitas organizações, que reconhecem a importância de reduzir seu impacto no meio ambiente. Nessa jornada, os sistemas integrados de planejamento empresarial (ERP) têm se destacado como aliados estratégicos na gestão responsável de recursos e na promoção da sustentabilidade dentro das empresas.

ERP: Uma Plataforma Unificada para Gestão Sustentável

Os sistemas ERP oferecem uma plataforma unificada que permite o gerenciamento eficiente de recursos como energia, água, matéria-prima e até mesmo a redução de emissões de carbono. A capacidade de coletar, integrar e analisar dados provenientes de diferentes áreas da organização facilita a identificação de oportunidades para otimização e redução de desperdícios em processos operacionais.

Módulos Específicos para Sustentabilidade Ambiental

Além disso, a implementação de módulos específicos dentro dos sistemas ERP, voltados para a gestão ambiental e sustentabilidade, possibilita o acompanhamento detalhado do ciclo de vida dos produtos. Isso inclui desde a seleção de fornecedores com práticas mais sustentáveis até o gerenciamento de resíduos e reciclagem, permitindo uma visão completa e transparente das operações.

Tomada de Decisões Estratégicas Embasadas em Dados Precisos

Outro ponto relevante é a capacidade dos sistemas ERP de auxiliar na tomada de decisões estratégicas embasadas em dados. Com informações precisas e em tempo real, as empresas podem implementar medidas para reduzir impactos ambientais negativos, investir em tecnologias mais sustentáveis e até mesmo desenvolver produtos ecologicamente conscientes.

Conclusão: ERP como Motor da Sustentabilidade Empresarial

Portanto, os sistemas integrados, como os ERP, estão desempenhando um papel fundamental na promoção da sustentabilidade empresarial. Ao fornecerem ferramentas para a gestão eficiente de recursos e a tomada de decisões orientadas por dados, esses sistemas se tornam aliados estratégicos na construção de um futuro mais sustentável para as organizações e para o planeta como um todo.


NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

A Importância da Assinatura Eletrônica e Digital na Transformação Digital: Conheça o Senior NP Sign


No cenário empresarial atual, a transformação digital tornou-se essencial para a eficiência operacional e a competitividade. Nesse contexto, a assinatura eletrônica e digital desempenha um papel fundamental, revolucionando a maneira como os processos são formalizados. Esta tecnologia não apenas simplifica processos, mas também promove a sustentabilidade ao reduzir significativamente o consumo de papel, além de proporcionar melhorias notáveis na eficiência e segurança das transações.

Redução de Papel:

A assinatura eletrônica e digital elimina a necessidade de documentos físicos, reduzindo assim o desperdício de papel e os custos associados à impressão e armazenamento. Isso não apenas contribui para a preservação do meio ambiente, mas também otimiza a gestão de recursos nas organizações.

Melhoria no Processo:

Ao adotar assinaturas eletrônicas, os processos empresariais tornam-se mais ágeis e eficientes. Documentos podem ser compartilhados instantaneamente, reduzindo o tempo necessário para concluir acordos e transações. Além disso, a automatização de fluxos de trabalho simplifica tarefas administrativas, liberando tempo para atividades mais estratégicas e criativas, sem contar que para pesquisar um documento digital é muito mais prático e rápido, pesquise por colaborador, assunto e até data de envio, tudo isso para facilitar seu processo.

Segurança:

A segurança das informações é uma preocupação central para todas as organizações. As assinaturas eletrônicas e digitais oferecem um nível avançado de segurança por meio de criptografia, autenticação e organização. Isso garante a autenticidade dos documentos assinados, protegendo contra fraudes e manipulações, além de estar em conformidade com regulamentações e normas de segurança de dados.

Nesse contexto, o produto Senior NP Sign destaca-se como uma solução completa para assinatura eletrônica e digital. Este produto inovador oferece uma plataforma intuitiva e segura, permitindo que empresas de todos os tamanhos adotem rapidamente a assinatura eletrônica e digital em seus processos. Com recursos avançados de envio e validação, o Senior NP Sign garante a integridade dos documentos assinados, além de oferecer uma experiência de usuário amigável, simplificando a adoção da tecnologia pelos colaboradores e áreas da empresa.

Em resumo, a assinatura eletrônica e digital não apenas moderniza os processos empresariais, mas também contribui para a preservação ambiental, aumenta a eficiência operacional e reforça a segurança das transações. Ao adotar soluções como o Senior NP Sign, as organizações estão não apenas se adaptando à transformação digital, mas também prosperando nesse novo cenário, impulsionando a inovação e o crescimento sustentável.

Quer conhecer um pouco mais deste inovador produto? Fale agora mesmo com seu Gestor Comercial e agende uma demonstração.





NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Desbravando a eficiência: Automatizando o financeiro e decifrando indicadores com tecnologia


Em um mundo corporativo cada vez mais dinâmico, a automação financeira e a análise de indicadores tornaram-se pilares essenciais para o sucesso empresarial. Neste artigo, exploraremos cinco dicas fundamentais que podem potencializar a eficiência do seu departamento financeiro, desde a utilização de recursos dos sistemas de gestão até a exploração de avançadas ferramentas como a Inteligência Artificial (IA).

  1. Utilize Recursos dos Sistemas de Gestão Financeira:

    Os sistemas de gestão financeira modernos oferecem uma variedade de recursos que podem ser subutilizados. Explore funcionalidades como a automação de lançamentos contábeis, conciliação bancária automatizada e emissão de relatórios personalizados. Ao extrair o máximo dessas ferramentas, você não apenas economiza tempo, mas também aprimora a precisão e confiabilidade das informações financeiras.

  2. Tenha um Sistema Integrado:

    A fragmentação de sistemas pode resultar em redundâncias e inconsistências nos dados financeiros. Ao investir em um sistema integrado, como um ERP (Enterprise Resource Planning), você garante a sincronização eficiente entre diferentes setores da empresa. Isso elimina retrabalhos, reduz erros e proporciona uma visão unificada das operações financeiras.

  3. Automatize Processos de Fluxo de Caixa:

    O fluxo de caixa é a espinha dorsal das finanças empresariais. Automatizar processos como a entrada de receitas e despesas, conciliação bancária e projeções de caixa não apenas economiza tempo, mas também fornece uma visão em tempo real da saúde financeira da empresa. Com essa automação, você pode antecipar desafios e tomar decisões estratégicas com base em dados atualizados.

  4. Adote Ferramentas de Business Intelligence (BI):

    Ferramentas de BI são aliadas poderosas na análise de indicadores financeiros. Elas transformam dados brutos em insights acionáveis, proporcionando uma compreensão mais profunda do desempenho empresarial. Utilize recursos como criação de dashboards personalizados, relatórios interativos e análise de tendências para embasar suas decisões estratégicas e promover a agilidade na resposta a mudanças.

  5. Explore a Inteligência Artificial (IA):

    A Inteligência Artificial abre portas para análises financeiras mais avançadas. Algoritmos de IA podem identificar padrões complexos, prever cenários futuros e oferecer insights valiosos. Ao incorporar a IA na análise de indicadores, você eleva a precisão das projeções e identifica oportunidades de otimização financeira que poderiam passar despercebidas em análises convencionais.

A automação financeira e a análise inteligente de indicadores são a chave para um futuro empresarial sólido. Ao seguir estas cinco dicas, sua empresa estará preparada não apenas para enfrentar os desafios do presente, mas também para prosperar em um ambiente de negócios em constante evolução. Capacite-se com a tecnologia, explore as potencialidades dos sistemas de gestão e permita que a eficiência impulsione o crescimento sustentável da sua organização.

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Estratégia em 6 Etapas (e Meia)


Esse tipo de título sempre costuma atrair leitores por sugerirem algo simples e fácil de fazer. Bom, não é o que vou entregar esse texto. Por mais que estejamos falando de 6 etapas (e meia), não quer dizer que elas sejam rápidas e fáceis de serem realizadas. Há 10 anos desenhando planejamento estratégico, uma coisa é certa: todo ano é um aprendizado e um aprimoramento do modelo. E a cada ano que se passa, a certeza de estar mais próximo do modelo ideal. O modelo ideal? Ainda não conheço, pois administração não é uma ciência exata, e sim uma série de simulações, hipóteses, tentativas, erros e acertos.

Porém, uma coisa que tenho consciência e foi fruto de aprendizado ao longo desses 10 anos é o seguinte. Planejamento estratégico não é feito sozinho. Quanto maior envolvimento de toda a empresa (sim, de toda a empresa), mais chances de acertar. O sentimento de pertencimento faz com que o nível de engajamento na busca de resultados se multiplique inúmeras vezes. Acredito que nessa etapa planejamento 23/24 tenha acertado mais principalmente nessa etapa. Vamos lá.

Primeira etapa – Liderança

Reúna seus líderes e explique o porquê iniciaremos o planejamento. Defina as etapas junto com eles e explique o passo a passo que será realizado bem como suas datas e prazos. Solicite que toda informação seja repassada aos liderados, aos times. Envolva-os e faça com que eles também envolvam seus times. Gosto muito do conceito de Mente Mestra de Napoleon Hill, que firma o compromisso de todos com um propósito em comum, e esclarece que a soma de todos em torno desse propósito é maior que a soma individual de cada um.

Segunda Etapa – A famosa SWOT

Apesar de antiga, ainda sou fã da Análise SWOT. Atualmente ela pode ser convertida em atributos, que foi o que fizemos. Definimos atributos valiosos, avaliamos erros e acertos do passado e mapeamos nossas principais deficiências. Tudo isso com o objetivo de tentar enxergar um pouco mais o futuro e clarear quais são os principais pontos que devemos dedicar nosso foco para o próximo ciclo. A definição desses atributos nos fez entender o que não podemos perder em nossa essência, o que temos de mais importante e também onde erramos mais para não cometermos as mesmas falhas nunca mais.

Terceira etapa – Tentando enxergar o futuro

Todo curso de Administração e Planejamento traz o Modelo de Negócios como uma ferramenta chave para início das operações. Porém, um exercício pouco praticado é tentar enxergar o modelo de negócios futuro de um negócio já existente. Confesso que, com muita ajuda de IA, definimos nosso modelo de negócios futuro, tentando enxergar possibilidades, tendências e como devemos nos adequar (e rápido) a tudo que está batendo a nossa porta e que por muitas vezes ficamos presos apenas ao que estamos vivenciando.

Quarta Etapa – OKRs

Após definição e fixação de um propósito forte, partimos para a definição de nossos objetivos e resultados chave. Como evidenciamos que atingiremos esse propósito? Encontramos 4 grandes objetivos que nos nortearão ao longo do ano e para cada um deles, resultados chaves de todas as áreas visando atingir tais objetivos. O trabalho será em conjunto, onde todas as áreas precisam do desempenho das demais para que a organização atinja seu propósito. Na sequência, os líderes envolveram seus times explicando os objetivos e resultados e também criando as metas individuais, todas focadas no propósito geral.

Quarta Etapa e meia – Projetos Estratégicos

Essa chamo de quarta etapa e meia porque ela ocorreu “sem querer” no meio da etapa anterior. À medida que os OKRs foram sendo definidos, encontramos vários projetos estratégicos que precisamos realizar para transformar o nosso modelo de negócio vislumbrando o futuro que queremos atingir.

Quinta etapa – O Orçamento

Com objetivos e projetos definidos, chegou a hora de ver quanto isso vai custar e se está dentro das margens que a organização deseja atingir. Cada área elaborou seu orçamento baseando-se em tudo aquilo que foi previamente alinhado, partindo de um OBZ (orçamento base zero). Após três ou quatro revisões (que também podem ser chamados de cortes), o orçamento final foi aprovado e devolvido aos líderes para sua própria gestão orçamentária no exercício seguinte.

Sexta etapa – Divulgação

Por último, encerramos nosso planejamento estratégico divulgando à toda empresa em um evento único como tudo isso irá ocorrer. É o momento onde todas as áreas tomam conhecimento do que será feito pelas outras áreas, os resultados do ano anterior são divulgados de forma consolidada e o objetivo geral é formalizado.

Enfim, para que tudo isso ocorra, é necessário engajamento e disciplina. Reuniões não são desmarcadas e são classificadas como prioridades. A ausência de um membro não pode causar cancelamento nem reagendamento. Como disse, é uma “Mente Mestra”, e todos estão em busca de um único objetivo, um propósito.

Nosso propósito é Gerar Evolução para Pessoas e Empresas. Todos estamos focados dia a dia em fazer isso acontecer.

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Pequenas Equipes, Grandes Gestores


Há um pensamento equivocado de que quanto menor a equipe mais fácil é gerenciá-la. São gigantes os desafios de fazer mais com menos, tornar seus produtos e serviços mais acessíveis e suprir as expectativas de clientes com diferentes necessidades sendo atendidos por uma equipe enxuta. Para apoiá-los nesta missão temos a seguir quatro dicas valiosas para gerentes de pequenos times:

1. Diversidade de Conhecimento: Construindo Especialistas

Quando se tem uma equipe pequena, dificilmente cada membro trabalhará dedicando-se apenas a uma atividade. É necessário que todos entendam um pouco de tudo, mas é crucial também desenvolver especialistas que se aprofundem em determinado assunto e se tornem “mentores” dos demais no tema.

Exemplo: Em uma equipe de TI, todos devem ter uma mesma base, mas é necessário que cada um tenha um conhecimento mais aprofundado em determinada tecnologia ou serviço e esteja sempre se atualizando.

Para formar especialistas, invista em conhecimento com cursos, treinamentos, especializações, entre outros.

2. Documentação de Processos: O Poder da Informação Registrada

O conhecimento não pode ficar apenas na cabeça de cada um. Tudo deve estar documentado com informações, procedimentos, instruções de trabalho detalhados e acessíveis aos demais membros. O gestor deve ter conhecimento dessas documentações para pesquisa e orientação de sua equipe.

A documentação de processos é crucial para a passagem de conhecimento, facilitando assim a troca de função ou a substituição de um membro.

Se na sua empresa se escuta muito a frase “Isso aqui só o Fulano sabe fazer”, já está na hora do fulano deixar de ser uma carta coringa para ser um multiplicador. A documentação é um excelente instrumento de apoio para isso.

3. Gestão de Conflitos: Transformando Diversidade em Força

Se engana quem pensa que quanto menor a equipe, menos conflitos teremos. Assim como há a diversidade de conhecimento, temos também a diversidade de personalidade, o que pode gerar conflitos – e que bom que isso acontece.

Conviver com quem tem um pensamento diferente do nosso faz com que tenhamos uma visão diferente de fatos e alguns problemas, promovendo o “pensar fora da caixa”.

Para gerenciar conflitos, fortaleça a comunicação interna entre todos os integrantes; conheça os desafios de cada um; trate todos com equidade, trace metas colaborativas e deixe claro a importância de cada membro para que estas metas sejam atingidas.

4. Distribua ou Terceirize Tarefas: O Poder da Gestão a Vista

Pegando um gancho no item anterior, quando temos conhecimento dos desafios de cada integrante da equipe, fica mais fácil a distribuição das tarefas. Mas não guarde esta informação somente para você; compartilhe isto com os demais. Para isso, os quadros de gestão a vista são ideais para apresentar a todos a dimensão dos esforços individuais e o andamento das metas.

A gestão a vista pode também te auxiliar a ter um termômetro de quando é necessário aumentar a equipe ou terceirizar alguma tarefa, mesmo que temporariamente. Desta forma, vocês não perderão o foco no que é realmente importante para alcançar os objetivos.

Dica Bônus: Celebre Conquistas Individuais e Coletivas

Eu havia dito que seriam quatro dicas, mas vai aí uma dica bônus: comemore cada conquista de forma individual e, principalmente, coletiva. Isso estimula o sentimento de pertença. Comemore você também, gestor, por ter conquistado esta posição, seja por sua desenvoltura, conhecimento ou experiência.

Essas são algumas dicas que separamos para gestores de pequenas equipes. E você, tem alguma dica para nos dar? Compartilhe conosco sua experiência.

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

A Importância do CRM na Gestão Comercial: Potencializando os Relacionamentos e Resultados


Na era contemporânea dos negócios, a gestão comercial é um dos pilares fundamentais para o sucesso de uma empresa. Em um cenário altamente competitivo e em constante evolução, é crucial adotar estratégias eficazes para atrair, converter e manter clientes. Nesse contexto, o CRM (Customer Relationship Management) emerge como uma ferramenta indispensável para impulsionar o desempenho comercial e fortalecer os laços com o público-alvo.

Entendendo o CRM

O CRM é muito mais do que apenas um software. Ele representa uma abordagem estratégica para gerenciar e nutrir relacionamentos com clientes atuais e potenciais. Por meio do uso de tecnologia, processos e estratégias, o CRM permite a coleta, organização e análise de informações valiosas sobre os clientes. Isso inclui histórico de interações, preferências, comportamentos de compra e feedbacks.

A Importância do CRM na Gestão Comercial

  1. Conhecimento aprofundado do cliente

O CRM possibilita uma compreensão detalhada do cliente. Ao centralizar informações, desde o primeiro contato até as transações realizadas, as equipes comerciais têm uma visão holística dos clientes. Isso permite a personalização de abordagens, ofertas e serviços, aumentando a satisfação e fidelidade do cliente.

  1. Melhoria na tomada de decisões

Com acesso a dados precisos e atualizados, os gestores comerciais podem tomar decisões mais embasadas. Informações como histórico de vendas, padrões de compra e métricas de desempenho são cruciais para identificar oportunidades, ajustar estratégias e prever tendências futuras.

  1. Aumento da eficiência e produtividade

Automatizar tarefas repetitivas e padronizar processos é uma das vantagens do CRM. Isso libera tempo para as equipes se concentrarem em atividades mais estratégicas, como o desenvolvimento de relacionamentos, a personalização das abordagens de vendas e o acompanhamento próximo dos clientes.

  1. Gestão mais eficaz do funil de vendas

O CRM facilita o acompanhamento do ciclo de vendas, desde a prospecção até o fechamento do negócio. Ao identificar em qual estágio do funil cada lead se encontra, é possível direcionar esforços de maneira mais eficiente, otimizando recursos e maximizando as chances de conversão.

  1. Retenção e fidelização de clientes

Manter clientes satisfeitos é essencial para a lucratividade a longo prazo. O CRM auxilia na criação de estratégias de pós-venda, acompanhamento pós-compra e na oferta de suporte personalizado. Isso contribui para a construção de relacionamentos duradouros, transformando clientes em defensores da marca.

Conclusão

Em um mercado dinâmico e altamente competitivo, a gestão comercial eficaz é fundamental para o crescimento sustentável de qualquer empresa. Nesse contexto, o CRM se destaca como uma ferramenta poderosa, proporcionando insights valiosos, aprimorando o relacionamento com os clientes e impulsionando os resultados comerciais. Ao investir em um CRM adequado às necessidades da empresa, é possível não apenas maximizar vendas, mas também cultivar conexões duradouras e significativas com o público-alvo.

NOSSAS POSTAGENS