Artigo – Senior Noroeste Paulista

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Por que usar sistemas de RH na empresa? Confira algumas aplicações!


No dia a dia de uma empresa, quanto mais otimizadas forem as rotinas, mais produtividade e eficiência interna são garantidas. Nesse contexto, utilizar sistemas no setor de RH pode fazer toda a diferença.

Isso porque um software direcionado para os serviços de Recursos Humanos é capaz de cumprir diversas funções de forma automática e rápida. Consequentemente, a organização tem retornos muito positivos.

Quer saber em quais tipos de processos vale a pena utilizar sistemas de RH? A seguir, confira uma lista com as principais rotinas do setor de Recursos Humanos que podem ser otimizadas!

 

Recrutamento e Seleção

O processo de analisar o perfil dos candidatos, enviar o convite para participar das próximas etapas do processo seletivo, planejar as atividades a serem realizadas nessas fases e selecionar os profissionais que mais se destacaram demanda tempo, energia e custos para o setor de RH.

No entanto, com o uso de um software apropriado, é possível ter mais economia em várias dessas tarefas. Para começar, um sistema pode realizar as tarefas de seleção dos currículos que atendem aos requisitos definidos pela empresa para determinadas vagas.

Ao mesmo tempo, é possível programar o software para enviar e-mails, comunicados e lembretes aos participantes do processo seletivo com relação à aprovação ou não para as próximas fases, recepcionar documentos no caso da contratação finalizada, submetê-los à aprovação dos gestores da área contratante e muitos outros processos. 

O planejamento também pode ser ainda mais eficiente e organizado ao utilizar um sistema adequado para esse tipo de demanda. Basta realizar os comandos apropriados para as estratégias de recrutamento e seleção criadas na empresa.

Gestão de pagamentos

Outra tarefa que envolve bastante atenção e tempo dos profissionais de RH é o pagamento dos colaboradores. Além disso, por questões legais e financeiras, é preciso ter muito cuidado para evitar erros e falhas nessa tarefa.

A boa notícia é que um sistema de Recursos Humanos consegue realizar esse tipo de atividade com mais precisão, pontualidade e eficiência. Desse modo, uma tarefa massante e demorada torna-se somente uma conferência mais detalhada, bastando alguns cliques para que todo o processo seja realizado de forma segura e apropriada.

 

Geração de relatórios de assiduidade e pontualidade

Acompanhar o desempenho dos profissionais também é uma função do setor de Recursos Humanos. Dentre essas atividades, é necessário conferir a pontualidade dos colaboradores, tal como a assiduidade.

Essa tarefa é importante para realizar um controle da presença dos funcionários e fazer os ajustes necessários para que não haja problemas no dia a dia da empresa. Com relatórios que entregam esses dados automaticamente, isso se torna ainda mais fácil.

Nesse caso, é possível, por exemplo, implementar um software que organiza as informações do ponto eletrônico dos colaboradores. Com isso, o agrupamento desses dados por período é otimizado e os profissionais de RH podem fazer uma análise crítica.

 

Gestão de benefícios

Além do salário mensal, é fundamental se preocupar com o bem-estar dos funcionários. É aí que entra a importância da gestão de benefícios. Assim, pode-se analisar as necessidades dos profissionais e garantir um bom engajamento.

Vale-transporte, vale-refeição, vale-alimentação, bonificações, assistência médica e odontológica: todos esses são exemplos de benefícios que podem ser oferecidos aos colaboradores.

Com o auxílio de um sistema apropriado para essas tarefas, torna-se simples administrar essas demandas, manter o pagamento em dia, organizar as parcerias com as demais empresas, dentre outras atividades que envolvem a gestão de benefícios.

 

Integração com outros setores

Sabe o que mais ajuda na produtividade interna de uma empresa? Manter os setores bem integrados. Uma comunicação eficiente entre as partes de uma organização permite um desenvolvimento coeso e sustentável.

A tecnologia se mostra como uma excelente aliada na organização e na transmissão de informações. Assim, é possível compartilhar os dados com setores de Vendas, Finanças, Logística e outros e realizar uma gestão integrada.

 

Viu só como os sistemas de RH podem ser úteis no dia a dia? Para isso, nada melhor que usar softwares de qualidade e contar com uma empresa de confiança para realizar a criação e a manutenção de programas apropriados para a sua organização.

Quer saber onde encontrar soluções especializadas para o RH? Então, conheça agora mesmo os nossos serviços de Gestão de Pessoas!

 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Entenda o que é e como criar uma régua de cobrança eficaz!


A inadimplência dos clientes é uma das principais barreiras para o crescimento das empresas. Como sabemos, a entrada de receitas é o que vai garantir que a empresa tenha capacidade de operar plenamente.

Quando esse fluxo de recursos não é mantido, independentemente de qual seja o motivo, é necessário implementar soluções que melhorem o processo financeiro. Uma das ferramentas mais utilizadas é a régua de cobrança. Esse método ajuda as empresas a minimizarem o impacto da inadimplência e otimizam a gestão das finanças do empreendimento.

Por isso, preparamos esse conteúdo completo para esclarecer as suas dúvidas. Continue lendo para conhecer todos os detalhes!

 

O que é e para que serve a régua de cobrança?

De forma resumida, a régua de cobrança é uma metodologia que descreve, detalhadamente, quais passos devem ser seguidos para comunicar o cliente sobre os pagamentos em atraso. Para muitas empresas, a régua de cobrança é um diferencial para prevenir inadimplência bem como preservar o relacionamento com os clientes que se encontram em atraso.

Assim, o seu uso está ligado diretamente ao faturamento da empresa e a continuidade da entrada de receitas. Vale lembrar que o objetivo da empresa é identificar as causas e solucionar o problema do atraso. Essa prática é menos onerosa e ágil do que outras medidas para a recuperação dos recursos, como é o caso de cobranças por meio judicial.

Como resultado, é possível atingir o equilíbrio entre as finanças da empresa e o atendimento ao cliente.

 

Como se preparar para criar uma régua de cobrança?

Cada empresa tem liberdade para criar as etapas de régua de cobrança de acordo com a sua estratégia. Porém, vamos apresentar aqui um modelo básico que pode ser adaptado de acordo com as necessidades do gestor financeiro.

1º passo

Em primeiro lugar, é fundamental ressaltar que essa atividade não começa apenas quando o cliente está em atraso. Na prática, é mais comum enviar lembretes antes do vencimento comunicando em qual data o pagamento deve ser realizado. Geralmente o primeiro comunicado é enviado com 5 dias de antecedência, um dia antes do vencimento e no dia do vencimento.

2º passo

O gestor também deve determinar quais réguas serão seguidas após o vencimento. Dessa forma, considerando os pagamentos feitos com boleto bancário é necessário aguardar o prazo de compensação. Segundo as réguas desse meio de pagamento a confirmação leva até 3 dias úteis.

Após esse período, caso o pagamento não tenha sido identificado é necessário dar início ao procedimento de cobrança. A empresa pode optar por aguardar até o 5º dia, como uma margem de segurança. Se o pagamento não for confirmado nesse período, a primeira cobrança por e-mail, por ligação ou por mensagem no celular deve ser feita.

3º passo

A partir de então, os comunicados sobre o pagamento que está em atraso serão enviados conforme o cronograma estabelecido pelo gestor. Nós recomendamos criar um fluxo de cobrança que será enviado em 5, 10 ou, até mesmo, 15 dias depois.

4º passo

Além das tentativas de cobrança, o gestor de finanças também pode estabelecer consequências para o cliente que se encontra nessa situação. Caso o seu negócio ofereça serviços que têm assinatura recorrente, por exemplo, a ideia é bloquear o acesso até que a situação seja regularizada.

Mas se, por outro lado, a sua empresa lida com o fornecimento de produtos, a nossa recomendação é interromper o fornecimento ou limitar os pedidos que podem ser feitos até que o pagamento seja confirmado.

As penalidades pela ausência de pagamento, infelizmente, são necessárias para prevenir a inadimplência. Além disso, a sua empresa pode se proteger por meio de cláusulas contratuais ou termos de serviço que descrevem claramente quais atitudes serão tomadas em caso de atrasos.

Portanto, tomar medidas drásticas, como a suspensão do atendimento nunca é a primeira opção. Nesse sentido, a régua de cobrança é vista é como uma prática preventiva, pois começa antes mesmo cliente fique inadimplente.

 

Quais elementos não podem faltar na sua régua de cobrança?

Alguns elementos são essenciais para uma efetiva régua de cobrança e podem ser adaptados de acordo com a necessidade da empresa. Veja a seguir:

Adaptação aos diferentes meios de pagamento

Para os pagamentos no boleto bancário, por exemplo, a data de vencimento é um fator que vai influenciar a rotina de cobrança. Em primeiro lugar, a escolha da data de vencimento deve ser feita de acordo com os interesses da empresa para beneficiar o seu fluxo de caixa.

Para as empresas que oferecem o pagamento no cartão de crédito, é necessário compreender que a inadimplência pode acontecer por vários motivos como:

  • o cartão pode ter sido cancelado;
  • a validade do cartão expirou;
  • o limite é insuficiente para fazer a cobrança;
  • os dados foram  salvos  incorretamente;
  • existe a suspeita de fraude.

Esse é um fator que afeta principalmente as empresas que oferecem serviços recorrentes. Portanto, é importante criar mecanismos para que a empresa faça a cobrança por cartão de crédito segundo as réguas tanto do banco como da operadora.

Cadastro do cliente

Para criar um processo de cobrança eficiente é preciso ter os dados de contato do cliente, tais como telefone, e- mail e endereço. Assim, use ferramentas que permitam cadastrar essas informações e sempre que possível faça a sua atualização com intuito de facilitar o processo de cobrança.

Incentive pagamento à vista

Em um cenário ideal, o pagamento à vista deveria ser a principal forma de pagamento escolhida pelos clientes. Enquanto nós sabemos que essa não é a realidade, pois muitas empresas dependem do pagamento a prazo (como cartão de crédito e boleto com data de vencimento no futuro) para viabilizar as vendas, vale a pena criar formas para aumentar o volume de vendas com pagamento à vista por meio de iniciativas que são favoráveis também para os clientes.

Hoje, já temos acesso ao sistema de pagamentos instantâneos PIX que é uma forma ágil segura e gratuita de fazer transferências bancárias. O empreendedor pode considerar oferecer descontos para os clientes que optam pelo pagamento à vista no dinheiro ou por transferência e, assim, contar com os recursos disponíveis imediatamente.

 

Use a tecnologia a seu favor!

Embora o processo de criação de uma régua de cobrança seja simples, ainda existem diversos cuidados que devem ser tomados. Um dos aspectos relevantes é a quantidade de clientes que afeta a capacidade do gestor financeiro de acompanhar cada venda e quitação.

Com isso, surge a necessidade de contar com tecnologias que automatizam esse processo. A cobrança manual não vale a pena quando há sistemas desenvolvidos para a gestão de cobrança e acompanhamento pelos pagamentos. Ao investir nesta ferramenta é possível ganhar tempo e melhorar a eficiência da empresa.

Todo gestor sabe como o risco de inadimplência representa um desafio, principalmente para empresas de pequeno porte. Por isso, a régua de cobrança é uma ferramenta de gestão confiável e capaz de mudar esse cenário de forma positiva.

Se você gostou deste post e quer ter acesso a mais conteúdos basta assinar a nossa newsletter. Aproveite!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Entenda o que é a logística 4.0 e quais os benefícios desse modelo!


É possível traçar a evolução desse processo desde o princípio da atividade logística até o ponto que estamos hoje. Com surgimento do conceito de logística 4.0, marcamos mais uma fase na história desse processo que tem focado na automação, na busca por eficiência e na valorização da integração.

Esse novo modelo propõe avanços para a criação de uma área de transporte que atua com a mesma simplicidade tanto de forma local como no âmbito global. Para alcançar esses resultados as empresas dependem de investimentos em novos recursos tecnológicos e no desenvolvimento de processos analíticos.

Com base nesse novo cenário, você não pode ficar de fora do que ainda está por vir nesse setor. Veja neste artigo tudo o que você precisa saber. Aproveite!

 

Qual é a importância da logística 4.0?

As empresas que valorizam essa metodologia estão dedicando tempo e recursos para levar as suas atividades para uma nova era de inovação e crescimento. Um dos aspectos mais importantes é que essa tendência busca oferecer aplicações reais para as novas ferramentas que envolvem a internet das coisas, Big Data e computação em nuvem.

A ferramenta que une todas essas funcionalidades é indispensável para o momento atual. Com isso, as empresas contam com a tecnologias, tanto dispositivos quanto sistemas, que servem para:

  • integrar a operação de transportes;
  • facilitar a troca de informações relevantes;
  • identificar gargalos;
  • gerenciar processos estratégicos.

Quais são as vantagens desse conceito?

Sim, transformar a realidade da empresa é um grande desafio. Afinal, estamos falando de uma mudança cultural que afeta toda a rotina e a capacitação da equipe. Porém, não podemos deixar de lado o fato de que, para que esse modelo funcione de forma plena, é preciso conectar a cadeia de suprimentos de ponta à ponta.

Somente assim, os profissionais da área irão conquistar os benefícios dessa evolução.

Otimização da relação entre clientes e fornecedores

O sucesso da cadeia de suprimentos depende do comprometimento de todos os seus elos. A ideia é usar a tecnologia para criar uma conexão entre eles e eliminar as barreiras para o estabelecimento, um canal de comunicação aberto. A partir daí esse relacionamento será visto como uma parceria baseado em uma estratégia de colaboração e crescimento mútuo.

Redução do lead time

O lead time é um indicador logístico que aponta quanto tempo a empresa precisa para concluir o fluxo de remessa produtos. Ao experimentar novas tecnologias é possível simplificar a execução das etapas eliminando, assim, a burocracia que afeta o andamento da entrega.

Essa prática também possibilita amadurecer o processo de planejamento das viagens. Isso representa trajetos mais curtos, maior produtividade e um ganho de agilidade na distribuição de produto e insumos.

Melhoria da gestão de estoque

Por muito tempo, a prática mais comum era manter um elevado nível de estoque para evitar a falta de mercadorias. Hoje, os avanços da tecnologia permitem trabalhar com o planejamento de estoque com o intuito de entender a demanda e planejar o abastecimento. Essa é uma forma de evitar perdas e desperdício, o que gera uma economia significativa.

Por fim, nós sabemos que o setor logístico é conhecido por um alto nível de concorrência. Para sobreviver, a empresa deve se destacar pelo uso de tecnologias que simplificam os processos e ajudam a conquistar um alto nível de eficiência.

 

Se você gostou desse post e quer deixar a sua opinião, basta escrever um comentário espaço abaixo. Nós queremos ouvir você!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Saiba o que é um sistema de gestão alfandegária!


As novas tecnologias trouxeram muitas facilidades para o cotidiano das organizações. Nesse sentido, os sistemas de gestão aduaneira cumprem um papel fundamental dentro dos processos logísticos e vão além do auxílio nos serviços de entrega, transporte e armazenagem. Eles trazem mais dinâmica e inovação para esse tipo de negócio, influenciando nas estratégias e nos planejamentos.

Levando em consideração essas informações, este artigo falará sobre a importância dos sistemas de gestão alfandegárias, abordando os benefícios dessa tecnologia. Confira!

 

O papel da logística alfandegária

Antes de começarmos, é importante trazer para você, o papel da logística alfandegaria, que abarca uma série de etapas e atividades por vezes complexas, que serão facilitadas por meio de ferramentas e sistemas de gestão. Nesse contexto, as funções da logística alfandegária abarcam:

  • Transporte de produtos;
  • Armazenagem de mercadorias, incluindo discriminação e preparo de itens;
  • Movimentação e entrega de matérias-primas, insumos e produtos.

Dessa forma, esse tipo de logística opera em atividades fundamentais no contexto internacional, tendo como principal foco, as etapas de importação e exportação que são analisadas e gerenciadas pelas organizações.

 

Uso da tecnologia na gestão alfandegária

Como sabemos, a logística internacional, bem como as nacionais, exige dos gestores atenção plena a cada detalhe, seja nas funções administrativas, legais ou operacionais. E, para que cada um desses aspectos saia exatamente como planejado, contar com a tecnologia é algo fundamental.

Nesse contexto, a obtenção do controle de todas as etapas, como, por exemplo, reunião de dados, integração de setores e informações terão menos chances de incidirem em falhas, caso seja utilizado um software de gestão. Abaixo, citaremos alguns benefícios que essas ferramentas podem propiciar. Veja!

Administração de impostos e documentos

Trabalhos que envolvem importação e exportação requer uma atenção redobrada à legislação e exigem uma série de documentações. Uma vez que cada país tem a sua própria lei, impostos e regras aduaneiras, um sistema eficaz de gestão possibilita:

  • A organização eletrônica de documentos;
  • A impossibilidade de informações duplicadas;
  • A eliminação de extravios;
  • A organização de movimentações entre outros benefícios.

Alinhamento com a legislação

Como já mencionamos, atividades de importação e exportação exigem obediência à lei e possuem uma série de requisitos a serem cumpridos. A tecnologia, nesse sentido, favorece o preparo para as determinações legais de cada país, o que agilizará autorizações e o pagamento de taxas, por exemplo. Isso fará com que a empresa ganhe tempo e otimize a operação.

Armazenamento

Outro fator importante que será impactado pelo uso de softwares de gestão aduaneira é o armazenamento, ou seja, as atividades que envolvem a separação, preparação e estoque de mercadorias. Todas essas ações requerem um planejamento estruturado, pois atrasos na liberação e distribuição podem ocasionar diversos transtornos, inclusive financeiros.

Dessa forma, com um sistema de gestão se torna possível o controle mais assertivo no que se refere a datas e solicitações de entrada e saídas em áreas fronteiriças, por exemplo, facilitando todo o processo.

 

Sistema de gestão alfandegária

ERP, ou Sistemas Integrados de gestão empresarial é um recurso tecnológico capaz de interligar os dados e processos de uma organização em um único sistema. Essa interligação traz otimização às rotinas de uma organização e reduz as chances de falhas que podem resultar no pagamento de multas, por exemplo.

E, para que a qualidade do trabalho não seja afetada, é importante contar com parceiros comprometidos em desenvolver os melhores ERP, capazes de atender empresas de diferentes segmentos, que te ajuda a potencializar resultados e agilizar processos do dia a dia. Entre em contato e contrate o melhor ERP do país!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Sistema para gestão de supermercados. Veja como funciona!


O avanço das novas tecnologias vem propiciando inúmeras facilidades para o dia a dia das empresas, seja na elaboração de estratégias de venda, ou na otimização dos trabalhos. Nesse sentido, a utilização de sistemas de gestão para supermercados pode trazer inúmeras vantagens para a execução das atividades e eficiência no atendimento. Levando em consideração essas informações, este artigo se propõe a falar sobre essas ferramentas, mostrando sua importância, funcionamentos e recursos que elas devem oferecer. Confira!

 

O que é um software de gestão?

Um software de gestão é uma ferramenta capaz de unificar dados de diversos setores dentro de uma empresa, facilitando a colaboração entre os departamentos e ajudando na elaboração de estratégias. A sua utilização reduz drasticamente os erros e custos administrativos do estabelecimento.

Como as informações são armazenadas em nuvem (cloud computing), esse tipo de solução permite que os dados sejam acessados de qualquer lugar, desde que se tenha acesso à internet e autorização para isso. Todas essas funcionalidades resultam em um aumento de faturamento, uma vez que há mais controle de custos, redução de perdas e melhor giro de estoque. Portanto, é essencial contar com um software de gestão na administração de um supermercado.

 

Quais as vantagens de um sistema para supermercados?

Como já foi mencionado, um sistema de gestão para supermercado é capaz de automatizar processos, reunir dados importantes e auxiliar na tomada de decisões. Abaixo, citaremos mais algumas vantagens que ele oferece. Veja! 

Previsão de estoque

Quando negociamos com um fornecedor é preciso calcular as necessidades do estabelecimento. Nesse sentido, um trabalho manual pode incorrer em falhas. Ao contarmos com um sistema para gestão de supermercados, temos acesso a recursos capazes de realizar uma mensuração estatística da demanda de cada período, utilizando, para isso, diversas informações, tais quais: histórico de vendas, flutuações sazonais, entre outras. 

Alinhamento com o Fisco

Como sabemos, a abertura de uma empresa implica, necessariamente, pagamento de tributos. E, para quem lida com vendas, as operadoras de cartões de crédito são obrigadas a entregar anualmente a Declaração de Operações com Cartão de Crédito (DECRED), que serve para a Receita Federal verificar se estão de acordo com as declarações da sua empresa.

Caso haja inconsistência de dados, os transtornos podem ser diversos, mas, o investimento em um software para gestão pode realizar esse trabalho, evitando discrepâncias.

Análises gerenciais

As ferramentas de gestão podem oferecer informações preciosas que ajudarão o setor de compras a compreender quais os itens e fornecedores são mais críticos ao negócio. Além disso, processos de controle de caixa e resultados do ponto de venda podem ser analisados de modo mais facilitado.

 

O que um bom sistema de gestão deve possuir?

Agora que sabemos as vantagens e importância de um software de gestão em um supermercado, abordaremos as características que não podem faltar nesses programas. Veja a seguir algumas delas:

1. Qualidade do suporte ao usuário

O suporte é o principal responsável por resolver problemas e possíveis questionamentos. Portanto, ele deve ter boa disponibilidade, aparecendo em vários canais e durante o horário de expediente. Portanto, o impacto de um evento é sempre pequeno.

2. Funcionalidades

As funcionalidades devem ser o principal atrativo do ERP de supermercado. Portanto, precisam incluir boas capacidades de customização, possibilidade de integração com outras plataformas e mecanismos de controle.

3. Custo-benefício

O custo-benefício é uma das principais métricas que orientam as decisões de compra do sistema. Nesse sentido, nem sempre o sistema mais barato é o que melhor vai atender as expectativas do seu negócio. Logo, é preciso que se leve em consideração as necessidades do supermercado, frente a sua capacidade de investimento.

Portanto, o uso das novas tecnologias podem facilitar inúmeros processos dentro de uma organização. E, a utilização de softwares para supermercados pode ser muito útil, à medida que reduzem os erros, os custos e otimizam os trabalhos. E, para que os seus objetivos sejam conquistados, é ideal contar com parceiros dispostos a facilitar os trabalhos, oferecendo o melhor software de gestão do mercado. Entre em contato e saiba mais!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Software para gestão de fazenda: qual a importância?


Você já deve ter ouvido falar na transformação digital, não é mesmo? Ela trouxe uma série de transformações importantes nas mais diferentes áreas e isso vale, também, para o agronegócio. Sim, hoje é possível automatizar uma série de funções no campo que podem interferir diretamente na produtividade do seu negócio.

E uma das formas de trazer essas mudanças é adotando um software para gestão da fazenda. Se você ainda não adotou um, é importante compreender a importância dele para manter a produtividade, evitar perdas e prejuízos, entre uma série de outras questões importantes. Vamos saber mais a seguir sobre o tema. Boa leitura!

 

Auxilia na otimização do plantio

Os softwares para gestão de fazendas permitem que você possa identificar o momento correto de realizar determinados plantios, considerando a avaliação de variáveis importantes como umidade do ar, previsão meteorológica, estimativas para determinado período, entre outros pontos.

Além disso, ele também auxilia em uma rotação de plantio mais eficiente, indicando quais são as melhores opções para aquele momento e, assim, evitar a sobrecarga do solo. Muito bom, não é mesmo?

 

Auxilia na observação climática

Um ponto que impacta consideravelmente o plantio é, justamente, as alterações climáticas. Um software para gestão de fazenda consegue integrar-se com plataformas de previsões meteorológicas e prever necessidades de antecipação da safra ou optar por outros cultivos naquele período, minimizando perdas e prejuízos.

 

Permite automatização de processos

Para além das questões diretas no campo, temos também uma série de automações de processos que são importantes para não sobrecarregar o produtor. Entre alguns pontos que merecem atenção são:

  • emissão de notas fiscais de vendas;
  • gestão empresarial (afinal, sua fazenda pode ser comparável, sim, com as atividades de uma empresa);
  • gestão de pessoas (para administrar os contratos, pagamentos e benefícios trabalhistas dos seus profissionais);
  • soluções financeiras para ter uma melhor gestão de fluxo de caixa de forma automatizada em sua fazenda;
  • gestão de armazenagem, para evitar que falhas na estocagem possam prejudicar a sua rentabilidade e gerar perdas de produtos;
  • gestão de transportes e fretes, garantindo menores custos e maior produtividade no transporte da sua produção até a próxima etapa logística.

Para isso, você pode contar com a Senior! Temos diversos produtos que podem ser integrados a outros softwares de gestão de fazenda que você utilize e, assim, ter melhor custo-benefício e praticidade no dia a dia do seu negócio.

 

Garante menos perdas produtivas

Outro ponto importante é que os sistemas de gestão permitem, também, observar questões essenciais para evitar perdas produtivas, ainda mais em uma área na qual falhas podem gerar prejuízos irreversíveis.

Por exemplo, um produto armazenado por mais tempo do que deveria no seu estoque poderá estragar e comprometer toda a rentabilidade de uma safra. Um sistema focado para o setor de agronegócio poderá notificá-lo sobre a questão, fazendo-o acelerar o giro de estoque.

 

O software para gestão de fazenda é fundamental para que você possa minimizar impactos e garantir maior rentabilidade para seu negócio. Lembre-se que isso será fundamental para destacar-se no mercado! Tem dúvidas sobre o assunto? Deixe nos comentários e responderemos!

 

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Automatização de processos: como ela beneficia as empresas? Entenda!


Processos feitos manualmente são suscetíveis a muitos erros. Não obstante, com o passar do tempo, eles tendem a reduzir a competitividade do negócio, principalmente quando os seus concorrentes usam soluções tecnológicas. Nesse momento, é preciso fazer um levantamento de tudo aquilo que impede a empresa de se desenvolver, visando promover a automatização de processos. 

Para uma companhia ser, de fato, competitiva, é crucial que a comunicação interna e os processos sejam ágeis. Neste texto, vamos explicar de forma detalhada sobre a importância da automatização, falando também sobre conceitos correlatos, como workflow e BPM. Continue a leitura até o final e fique por dentro do tema! 

 

O que é automatização de processos?

Podemos dizer que a automatização de processos consiste em delegar a alguma tecnologia o trabalho repetitivo feito por um humano. Dessa forma, não somente erros são evitados, mas também o profissional passa a se concentrar em outros aspectos do negócio. 

O objetivo de automatizar processos é, entre outras coisas, promover agilidade e comunicação mais fluida. Nesse sentido, o conceito de integração também é de grande importância, visto que ela auxilia os setores da empresa a compartilhar informações e insights. Quando ambos são usados no negócio — seguindo um planejamento estratégico — as chances de sucesso e melhorias contínuas são consideráveis. 

 

Como funciona?

Para explicar o funcionamento da automatização de processos, daremos um exemplo referente ao e-mail. Suponha que todos os dias um colaborador do setor x precise enviar dezenas de mensagens todo dia. Ele precisa se comunicar com clientes e fornecedores e perde um tempo considerável digitando, copiando e colando os elementos que costumam se repetir. 

Usando a automatização de processos, é possível a esse colaborador escrever menos, de modo que uma ferramenta específica realiza disparos automáticos. Dessa forma, a comunicação com clientes e fornecedores se mantém e o profissional economizou tempo que pode ser aproveitado em atividades que demandam habilidades estratégicas, por exemplo. 

Vale ainda destacar que a automatização de processos atua com base em três pilares: pessoas, processos e tecnologia. Acompanhe cada um deles a seguir! 

Pessoas

É fundamental que as pessoas envolvidas tenham uma mentalidade alinhada com a transformação digital. Em outras palavras, mesmo se a empresa adquirir a melhor das tecnologias, isso de nada adiantará se os colaboradores forem resistentes à mudança.

Nesse sentido, deve-se focar também em promover uma cultura organizacional mais voltada para a tecnologia. Dessa forma, os colaboradores terão não só a mentalidade, mas também a capacidade analítica e expertise para contribuir na melhoria contínua dos processos internos. 

Processos

Obviamente, não poderíamos deixar de falar sobre processos. Quando a empresa se encontra em dificuldade de expandir sua operação, pode ser o momento de mapear gargalos e processos ineficientes ou redundantes. Na prática, existem três alternativas para um processo interno. São elas: 

  1. Aprimorar; 
  2. Eliminar; 
  3. Automatizar. 

Isso significa que a empresa não deve sair automatizando toda a companhia. Falaremos mais adiante em detalhes sobre planejamento e demais etapas que precisam ser feitas, visando identificar o que precisa, de fato, ser automatizado no negócio. 

Tecnologia

A escolha de uma tecnologia automatizada depende diretamente do mapeamento dos processos internos. É preciso considerar diversos fatores nesse momento, principalmente a relação custo e benefício da solução que será adquirida. O setor de TI passa a desempenhar um papel fundamental, no sentido de auxiliar a área de negócios a tomar as melhores decisões. 

 

Quais os benefícios da automatização de processos?

Automatizar processos pode promover o crescimento escalável do negócio. Se antes estava difícil expandir as operações em virtude de um gargalo, agora a companhia tem chances reais de conquistar uma fatia maior de clientes em seu setor de atuação. 

Maior produtividade dos colaboradores

Um processo mais ágil e eficiente tende a aumentar a produtividade dos colaboradores. Além disso, a incidência de erros se torna menor, o que implica em menos retrabalho e até a possibilidade de assumir novos projetos, por exemplo. 

O departamento de RH pode se beneficiar bastante da automatização de processos. Isso porque, em vez de registrar dados em planilhas manuais, os cálculos trabalhistas e demais procedimentos relacionados com folha de pagamento podem ser feitos em um sistema automatizado. Na prática, o setor ganha mais tempo para se dedicar, por exemplo, a processos de seleção de novos talentos.

Redução de custos

Quando a empresa realiza muitas atividades manuais e repetitivas, a tendência é gerar ineficiência e custos adicionais. À medida que a automatização é implementada, as falhas da operação são identificadas rapidamente, o que torna a resolução ágil e capaz de promover melhorias contínuas nos processos. 

Vale também destacar que a automatização auxilia o negócio a ter uma postura mais alinhada com a transformação digital. Isso significa que ela passa a aproveitar melhor não só os seus dados, mas todos os insights e conhecimentos que podem vir do mercado, dos clientes e dos concorrentes. Desse modo, a otimização é praticamente inevitável, o que reduz custos, aumenta a receita e propicia o crescimento escalável do negócio. 

Maior foco

Toda empresa tem a sua atividade-fim, que consiste naquilo que ela faz de melhor. Dito isso, a automatização de processos aumenta o foco do negócio nesse sentido, de modo que as atividades secundárias agora são delegadas a um software. 

Maior competitividade

Os três benefícios que explicamos há pouco estão intimamente atrelados ao aumento de competitividade. Embora a automatização de processos sozinha não seja capaz de fazer tudo, um plano estratégico bem elaborado é o que faz toda a diferença. 

Muito provavelmente, seus concorrentes estão adotando alguma tecnologia. Resta saber se existe um planejamento por trás e pessoas capacitadas para executar as operações. Portanto, ter um plano e colaboradores com mentalidade digital já ajuda bastante o negócio a desenvolver diferenciais competitivos. 

 

O que é um workflow?

O workflow é um termo usado em empresas para se referir a um fluxo de trabalho. A ideia é ilustrar uma sequência de passos a ser seguida pelos colaboradores, que pode ser um diagrama, por exemplo. Além disso, é possível executar um workflow por um único colaborador ou uma equipe. 

Em outras palavras, atividades mais simples como fazer um envio automatizado de e-mails pode ser feito por uma única pessoa. Já algo mais complexo precisa de várias mentes pensantes contribuindo, de modo a dar a fluidez necessária ao processo. O workflow, portanto, é uma das maneiras de adotar a automatização de processos no negócio.

 

O que é BPM?

Também conhecido por Business Process Management, o BPM ajuda os processos de negócio a serem mais ágeis. Em vez de ser uma ferramenta de automatização, o BPM consiste em uma série de práticas com foco na modelagem de processos. 

Na prática, é impossível uma estratégia de negócio não precisar de modificações ao longo do tempo. Logo, o BPM é crucial para promover melhorias contínuas, visando reduzir custos e aumentar a competitividade da empresa. Além de economia, outros benefícios que podemos citar do BPM são: 

  • maior produtividade do colaborador, visto que ele passa a se dedicar mais à atividade-fim do negócio; 
  • maior segurança das informações internas da empresa; 
  • os resultados operacionais não só são positivos, mas também bastante perceptíveis dentro da companhia. 

Qual a relação entre BPM e workflow?

Embora BPM e workflow não sejam a mesma coisa, ambos podem ser empregados no negócio. Como falamos, o primeiro possui foco na modelagem de processos, e o segundo tem por objetivo automatizar fluxos de trabalho. Isso quer dizer que o workflow pode ser uma parte de um todo que é o BPM. 

Para entender melhor essa relação, considere o seguinte cenário em que um departamento precisa automatizar uma certa atividade. Se este procedimento for de certa forma “isolado” de outros setores, a simples adoção de um workflow já consegue resolver a situação. No entanto, se essa atividade estiver ligada a outros departamentos e tiver um grau de complexidade maior, então é preferível usar BPM. 

Como deve ser feita a automatização de processos?

Se a empresa deseja fazer uma automatização profunda de seus processos, é preciso seguir uma série de passos. Acompanhe as subseções seguintes e conheça os principais deles! 

Mapeamento

O mapeamento deve refletir um conhecimento aprofundado do gestor quanto aos processos do negócio. Com esse instrumento de visualização, a equipe terá mais facilidade em colaborar e propor melhorias. Além disso, o mapa facilita a identificação dos pontos de ineficiência, que antes eram ignorados ou sequer eram do conhecimento do gestor. Alguns dos principais tipos de mapeamento de processos são:

  • processo de atividade: consiste em atividades que possuem ou não valor agregado em um processo; 
  • processo detalhado: como o nome sugere, mostra de maneira bastante minuciosa as etapas de um processo; 
  • documentos: são as entradas (coisas que serão transformadas) e saídas (resultados) de um processo. 

Listagem

Com base no mapeamento, a listagem dos processos ajuda gestores a visualizar como os setores e colaboradores se integram. A ideia é saber como agilizar a comunicação e compartilhamento de informações entre departamentos como vendas, financeiro e contabilidade em uma empresa. 

Documentação

A documentação é um procedimento a ser feito junto à listagem. Vale salientar que nesta etapa é bastante possível encontrar vários pontos de melhoria da operação. No entanto, recomenda-se fazer aprimoramentos somente em etapas subsequentes da automatização de processos. Algumas informações cruciais que devem ser documentadas são: 

  • colaboradores; 
  • resultados obtidos; 
  • tempo total do processo; 
  • tempo de parada; 
  • insumos; 
  • equipamentos; 
  • sistemas. 

Testes

Em geral, não se deve implementar a automatização de processos antes de testar primeiro. Isso porque é possível haver inconsistências que devem ser detectadas antes da implementação no negócio. Os testes, portanto, evitam erros operacionais que podem acarretar até mesmo em mais custos operacionais do que antes. 

Bons profissionais

Existem empresas que têm poucos funcionários, o que dificulta na hora de tirá-los de suas ocupações. Mesmo assim, é fundamental ter pessoas capacitadas para acompanhar a automatização de processos de ponta a ponta, além da escolha de uma boa equipe externa. O intuito desta é fornecer ajuda especializada em cada etapa, desde o mapeamento até a implementação integral. 

 

O que é RPA?

A sigla RPA é traduzida como automatização robótica de processos. De forma simples, consiste no uso de robôs, responsáveis pela execução de tarefas rotineiras e repetitivas em uma empresa. Seu funcionamento se dá da seguinte forma: com base em regras definidas por colaboradores, esses robôs podem fazer diversas tarefas com uma grande agilidade, como: 

  • transações; 
  • consultas em bases de dados; 
  • cálculos. 

Separamos algumas funcionalidades importantes do RPA. Confira nas subseções seguintes cada uma delas. 

Drag and drop

Esta funcionalidade ajuda bastante os colaboradores que possuem pouco ou nenhum conhecimento em programação. Somente arrastando e soltando blocos de código, é possível criar e visualizar fluxos de trabalhos a serem executados pelos robôs. Uma vantagem importante disso é que os setores passam a ter uma dependência um pouco menor da TI, no tocante à implementação de workflows. 

Gravação de fluxo de trabalho

O colaborador pode gravar a si mesmo executando tarefas que serão posteriormente executadas pelos robôs. A tecnologia evoluiu a ponto destes serem capazes de reproduzir o comportamento do profissional em um fluxo, tornando o trabalho muito mais ágil e eficiente. 

Modelos pré-construídos

Falamos há pouco que o drag and drop auxilia colaboradores com pouca ou nenhuma experiência com codificação. No entanto, até mesmo profissionais que sabem programar podem se beneficiar disso, visto que passam a fazer suas atividades do setor em menos tempo. Tudo isso é graças aos modelos pré-construídos, visando promover maior agilidade e eficiência operacional. 

Integrações

Integração é um desafio para as empresas. Quando bem feita, permite o compartilhamento de dados entre sistemas, algo difícil de fazer antigamente, dada a incompatibilidade da linguagem de programação empregada nesses softwares. 

A RPA pode ser implementada de modo a permitir a comunicação eficiente entre sistemas de gestão e relacionamento com clientes, por exemplo. É justamente essa integração que permite uma visão integral dos processos, facilitando a tomada de decisão e gerando conhecimento valioso ao negócio. 

Visão computacional

Basicamente, a visão computacional é responsável por estudar o processamento de imagens. Sendo um ramo da Inteligência Artificial, ela ajuda os robôs a imitar o trabalho humano em um fluxo automatizado. Em RPA, uma das aplicações é justamente na gravação do fluxo de trabalho do colaborador. 

Processamento de Linguagem Natural

Assim como a visão computacional, o Processamento de Linguagem Natural (PLN) é um ramo da Inteligência Artificial. Por meio dela, a máquina consegue entender melhor os comportamentos humanos, de modo a tornar mais próxima, eficiente e fluida a comunicação entre eles. 

O Big Data é um dos fatores que mais tem contribuído para o desenvolvimento do PLN. Estamos aqui falando sobre um grande conjunto de dados de diversas fontes, que podem ser processados e se transformar em conhecimento útil ao negócio. No âmbito prático, um dos principais exemplos de uso do Processamento de Linguagem Natural está nos assistentes por voz. 

Programação e análise de desempenho de bots

Para funcionar, um robô precisa ser configurado por um humano. Certos processos na empresa precisam de um tempo específico, de modo que também é possível programar alguma ação de colaborador que venha a ativar o trabalho desse robô, também chamado de bot. 

Outro ponto que não pode ser negligenciado na RPA diz respeito ao desempenho dos bots. Na prática, eles devem ser rastreados e continuamente, de modo a gerar relatórios referentes à estratégia de negócio que foi implementada. 

É esse acompanhamento que permite identificar algumas inconsistências e pontos de melhoria do trabalho dos bots. Se isso não for feito, o negócio pode ser impactado negativamente no futuro, gerando custos adicionais e até mesmo perda de competitividade. 

 

Quais as principais ferramentas de RPA?

As ferramentas que vamos apresentar estão no chamado quadrante mágico da Consultoria Gartner. Isso significa que elas são robustas e de qualidade, ajudando negócios a automatizar processos por meio do RPA. 

UiPath

Não é atoa que colocamos o UiPath logo no início da lista. Trata-se da ferramenta mais completa de RPA atualmente, tendo um leque bastante extenso de automatizações empresariais. Alguns dos setores atendidos pela solução são: saúde, finanças e varejo. 

Além de processos, o UiPath realiza também automações na web. Tem ainda como principais características a facilidade de uso e o poder de escalar a operação do negócio, tornando o trabalho quase que totalmente automatizado.

Por ser uma plataforma completa, é composta por três partes: Studio, Robot e Orchestrator. A primeira consiste no próprio ambiente de desenvolvimento do UIPath, inclusive com funções pré-programadas. Dessa forma, tanto desenvolvedores experientes quanto aqueles pouco familiarizados com codificação podem trabalhar com maior eficiência e agilidade. 

O Robot pode ser entendido como a área de simulação das automações programadas no Studio. Por fim, o Orchestrator tem a função de tornar, de fato, efetiva, toda a automatização feita por RPA. Dentre os recursos disponíveis no UiPath podemos citar: 

  • automação de processamento de reivindicações de seguros; 
  • automação de contact center; 
  • automação contábil; 
  • automação financeira; 
  • automação de prestador de serviços de saúde; 
  • automação de contas a pagar; 
  • automação de área de trabalho; 
  • automação web; 
  • automação do Excel; 
  • gravação de macro. 

Automation Anywhere

Alguns dos setores beneficiados pelo Automation Anywhere são serviços financeiros, saúde, manufatura e telecomunicações. Uma característica importante da solução é a sua facilidade de configuração, beneficiando as empresas a terem maior velocidade em seus processos. Os bots programados no Automation Anywhere tornam o trabalho dos colaboradores mais produtivos, visto que executam tarefas como envio de arquivos, cadastros e relatórios. 

Bot Creator

Com auxílio deste módulo, é possível desenvolver as chamadas aplicações de código baixo, ou Low-Code. A ideia é dar aos colaboradores com pouco conhecimento em programação a possibilidade de criar aplicações simples e que sejam capazes de auxiliar nas tarefas cotidianas. Um dos recursos usados para esse fim é o drag and drop. 

Bot Insight

O módulo de Bot Insight é voltado para a inteligência de negócios ou Business Intelligence. Na prática, ele consiste em um painel, de modo a gerar dados relacionados à automatização de processos, auxiliando bastante os gestores nas tomadas de decisão. Algumas das informações que o módulo gera são: 

  • comportamento dos consumidores; 
  • vendas; 
  • segmentação do mercado; 
  • estoque; 
  • indicadores de atendimento.

Bot Runner

O módulo Bot Runner tem uma função essencial dentro da RPA: disparar os robôs na hora certa para executar as suas ações. Logo, por meio dele, é possível fazer o agendamento de tarefas, de modo que o seu funcionamento é ininterrupto. Caso seja preciso aumentar a capacidade para as tarefas serem executadas, a empresa pode solicitar um Bot Runner adicional. 

Blue Prism

A empresa Blue Prism foi a responsável por cunhar o termo Robot Process Automation. Além de bancos e empresas de investimento, essa solução atende também e-commerces, promovendo processos automatizados capazes de aumentar a performance e as vendas em lojas virtuais. 

Assim como o UiPath, o Blue Prism possui como principais características a facilidade de uso e escalabilidade. Alguns benefícios importantes dessa solução para os negócios são a conformidade com a política interna da empresa e a não repetição dos robôs. 

Pegasystems

Além de fornecer soluções de RPA e BPM, o Pegasystems também possui um CRM, que é um software voltado para a gestão de relacionamento com clientes. Permite ainda a criação de assistentes virtuais e chatbots, bem como testes e aplicações com foco em mobilidade. As três plataformas da Pega são: 

  1. Pega Robotic Automation; 
  2. Pega Cloud; 
  3. Pega Mobility. 

NICE

Basicamente, a NICE beneficia empresas em relação à identificação, otimização e medição de processos. Além disso, ela possui um assistente virtual próprio chamado NEVA, que é responsável não só pela automatização de processos, mas também pelo aumento das vendas do negócio. 

Uma funcionalidade que merece destaque é a Click-to-Document. Com ela, é possível transformar os processos em documentos, de modo a promover facilidades operacionais e automatizações. Na prática, é possível economizar bastante tempo, já que antes eram empregados em tarefas manuais e repetitivas. 

 

A automatização de processos ajuda as empresas a serem mais ágeis e eficientes. Conforme vimos ao longo do artigo, o uso de BPM, fluxos de trabalho e RPA auxiliam o negócio a ser mais competitivo, de modo a reduzir custos operacionais, aumentar o volume das vendas e expandir as operações de modo sustentável.

Gostou do artigo? Então assine nossa newsletter agora mesmo e não perca as novidades que enviaremos ao seu e-mail!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Quais os benefícios da gestão de ponto eletrônico para a empresa? Confira!


Dependendo do número de funcionários, a empresa precisa adotar a gestão de ponto eletrônico. A ideia é acompanhar a assiduidade das pessoas que trabalham na companhia, servindo de base, entre outras coisas, no cálculo de horas extras.

Porque é tão importante fazer a gestão de ponto eletrônico e como o RH pode se beneficiar com ela? Neste artigo, traremos algumas considerações importantes sobre o tema, por isso não deixe de conferir a leitura até o final!

 

O que é a gestão de ponto eletrônico?

Gerir o ponto eletrônico é levantar informações relacionadas ao horário em que os funcionários entram e saem do serviço. Dessa forma, é possível estabelecer diversas coisas, como o valor que vai constar na folha de pagamento desses trabalhadores.

Sabendo com exatidão as horas trabalhadas, o RH pode obter várias informações importantes. Esta é uma das principais serventias da gestão de ponto eletrônico, de modo que melhorias sejam implementadas de forma contínua. Para que se entenda melhor a respeito, podemos dizer que a gestão de ponto é composta por etapas, sendo que as principais delas são:

● cálculo de horas trabalhadas;
● controle de jornada: de acordo com a CLT, o funcionário deve trabalhar oito horas
por dia e ter até duas horas extras todos os dias;
● tratamento: nesta etapa, são contabilizados, entre outras coisas, os atrasos e faltas
dos funcionários.

 

Quais os seus benefícios?

Fazer a gestão de ponto de forma correta é algo que traz muitos ganhos, tanto para o RH quanto para os funcionários. A seguir, explicamos as principais delas!

Evita possíveis ações trabalhistas

Não é muito raro o trabalhador acionar a Justiça do Trabalho em casos de demissão. Com a gestão do ponto, fica mais fácil comprovar todas as horas trabalhadas, transformando os registros em um instrumento jurídico, visando mitigar perdas financeiras ao negócio.

Pagamento correto de horas extras

Quando as horas extras são pagas corretamente, o funcionário se sente mais motivado no trabalho. Nesse sentido, a gestão de ponto eletrônico ajuda o RH a fazer os cálculos de forma correta, evitando imprecisões.

Otimização do tempo de quem trabalha no RH

Com o uso de um sistema específico para gerir o ponto, os profissionais de RH podem se deter menos no trabalho operacional. Em outras palavras, o uso de uma solução tecnológica é capaz de automatizar rotinas, de modo que os cálculos de horas trabalhadas e horas extras, por exemplo, ocorram sem erros. Na prática, isso também ajuda a dar mais transparência aos processos do setor, de modo a consolidar a harmonia organizacional entre empresa e funcionários. Dessa forma, o RH pode se dedicar a atividades de caráter mais estratégico, voltado para processos seletivos, por exemplo.

 

A gestão de ponto eletrônico é crucial para o RH ter o devido controle das horas trabalhadas pelos funcionários. Vale finalizar o texto enfatizando a importância de usar um sistema moderno, capaz de atender a essa demanda de gestão. Nós da Senior Noroeste temos uma ferramenta própria para digitalizar o RH da sua empresa, atendendo às necessidades de ponta a ponta e promovendo maior agilidade aos processos internos do setor.

 

Quer aumentar a qualidade e eficiência do seu RH? Então entre em contato e obtenha mais informações de como a nossa solução pode ajudar!

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Internet 5G: descubra qual é o seu impacto na gestão de negócios


A internet 5G está perto de se tornar realidade no Brasil, principalmente por estarmos passando por uma grande transformação digital. A quinta geração de internet móvel é uma tecnologia que possibilita uma conexão muito mais rápida do que a que conhecemos como 4G.

Além disso, também permite uma interconexão mais eficiente e rápida com outros dispositivos e aparelho — tudo graças à Internet das Coisas (IoT). Como a transmissão de dados da internet 5G é muito mais avançada, milhares de equipamentos podem ser conectados à mesma rede.

No Brasil, a expectativa é de que a tecnologia seja implementada nas principais cidades até julho de 2022, impactando de maneira significativa também na gestão de negócios. A seguir, confira as principais vantagens dessa tecnologia e de que maneira ela afetará os negócios.

 

Quais as principais vantagens da internet 5G?

Quando falamos em internet 5G, grande parte das pessoas pensam que se trata apenas de uma velocidade maior de tráfego de dados. No entanto, suas vantagens vão muito além disso. Abaixo, nós listamos as principais.

  • aumento da velocidade — a internet 5G promete uma velocidade até 100 vezes maior que a 4G que usamos. Então, enquanto a velocidade da 4G é de cerca de 17,1 Mbps, a 5G varia entre 1 até 20 Gbps;
  • melhora na comunicação — a nova tecnologia vai diminuir a latência, que faz com ocorram delays em vídeos, chamadas e jogos online. Assim, a 5G permite que a conexão seja realizada praticamente em tempo real e sem travamentos;
  • menor consumo de energia — em relação à internet 4G, a 5G usa até 90% menos energia. Como resultado, vamos perceber um grande aumento na duração da bateria dos dispositivos conectados à rede;
  • mais aparelhos conectados — a quarta geração de internet ainda sofre com a limitação da quantidade de dispositivos conectados, enquanto a 5G suporta entre 50 e 100 vezes o número de equipamentos.

Então, de que forma a internet 5G vai impactar a gestão de negócios?

Os benefícios acima prometem ser transformadores para os negócios, afinal, como estamos na era da digitalização e todas as empresas deverão investir em tecnologia para permanecer no mercado, a 5G impactará todos os modelos. A seguir, descubra de que forma.

Inteligência de negócio

A internet mais rápida e mais disponível permitirá aproveitar melhor a tecnologia para acesso a dados de gestão e operação de mercado. Ou seja, as empresas poderão lidar com um volume muito maior de informações e utilizar recursos tecnológicos mais exigentes, como a realidade aumentada e a realidade virtual.

Além disso, com tantas informações à disposição em tempo real, os gestores terão uma visão completa sobre os riscos e oportunidades, tornando mais assertiva a tomada de decisão.

Internet das Coisas — IoT

Esse tipo de tecnologia permite a conexão de diversos dispositivos autônomos na rotina de um negócio, coletando dados, analisando-os e, ainda, possibilitando que máquinas exerçam inúmeras funções antes realizadas manualmente. Com a internet 5G, todas essas funções terão um desempenho ainda melhor.

Segurança da informação

Atualmente, os dados são um dos ativos mais valiosos de uma empresa. Sendo assim, a segurança da informação se torna ainda mais importante e isso será aumentado com a chegada da internet 5G, evitando fraudes e vazamentos.

Gestão baseada em dados

A gestão baseada em dados é muito mais assertiva e precisa. Afinal, quanto mais relatórios, indicadores e informações o gestor tiver em tempo real, mais completas serão as visões sobre os riscos e oportunidades e, por consequência, as tomadas de decisões serão mais certeiras, aumentando as taxas de sucesso e reduzindo as possíveis ameaças.

 

Como você viu, a internet 5G trará grandes benefícios para a gestão de negócios, potencializando as oportunidades para todas as empresas que aderirem a essa nova tecnologia. Portanto, fique atento a essa novidade e invista nela tão logo for possível.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, aproveite a visita no blog e confira como a tecnologia pode ampliar os resultados da sua empresa.

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Artigo

 

Indústria 4.0 e ERP: qual a relação?


O avanço da tecnologia é algo impossível de evitar. O processo de desenvolvimento e aperfeiçoamento das máquinas, que teve início na primeira Revolução Industrial, continua acontecendo até hoje em uma escala muito maior. Isso afeta diretamente a automação e a troca de dados, bem como as etapas de produção e modelos de negócios.

A Indústria 4.0 está transformando o mercado. Isso se dá, entre outras coisas, por meio do aumento da produtividade e uso das mais modernas tecnologias disponíveis na produção de bens de consumo. Continue a leitura até o final para entender os benefícios da Indústria4.0 e sua relação com o software ERP!

 

O que é Indústria 4.0?

Também conhecida por Quarta Revolução Industrial, a Indústria 4.0 consiste em um novo modelo no qual há um aumento da automação e a integração de diferentes tecnologias como inteligência artificial, robótica, Internet das Coisas, computação em nuvem e cibersegurança. O objetivo é digitalizar as atividades industriais e ampliar a produtividade.

O conceito tem como uma de suas características a flexibilização da linha de produção. Além disso, podemos também mencionar a descentralização do trabalho, a alta velocidade no recebimento e análise de dados e a virtualização. Por meio desta, é possível obter informações em tempo real, de modo a fazer o controle indireto do ambiente de operação.

 

Quais os benefícios da Indústria 4.0?

Os benefícios da implementação desse conceito são muitos, sendo possível operar com mais agilidade, aprimorando a qualidade e ainda aumentando os lucros. Confira as subseções a seguir e conheça alguns dos principais benefícios!

Eficiência operacional e praticidade

As decisões são tomadas de maneira rápida e eficiente graças à automação dos processos. O aumento da praticidade ocorre à medida que as máquinas passam a fazer as atividades repetitivas, em vez dos humanos. 

Agilidade e segurança

A agilidade com os processos de especificações de produtos, lotes e fabricação ajuda a empresa a vender mais. Podemos também destacar que a agilidade oriunda da tecnologia reforça a segurança, evitando, por exemplo, violações e vazamento de informações.

Economia

Apesar de exigir investimentos relativamente altos para sua implantação, a Indústria 4.0 consegue eliminar desperdícios e operações que não agregam valor. Isso significa que, ao longo do tempo, a tendência é que esses custos comecem a cair e ainda haja uma economia de recursos.

Qual a relação entre o ERP e a Indústria 4.0?

O ERP (Enterprise Resource Planning) é o termo dado ao sistema que permite automatizar o processo operacional e controlar dados. A ideia é integrar todos os registros do negócio em uma única ferramenta. Portanto, é o sistema ERP que acompanha os processos industriais e gera informações estratégicas importantes para que os gestores tomem as melhores decisões em relação ao negócio. 

A incorporação dessa ferramenta na Indústria 4.0 permite:

  • integrar setores;
  • centralizar informações;
  • gerenciar processos;
  • mapear demandas;
  • reduzir custos;
  • aumentar a produtividade;
  • abrir portas para o estudo de novos modelos de negócios.

 

Podemos então concluir que a Indústria 4.0 tem o potencial para movimentar a economia, aumentando a qualidade dos bens de consumo. Além disso, ela ajuda a diminuir os custos e melhorar os lucros, elevando a empresa a um nível mais competitivo no mercado mundial.

Gostou do artigo? Então assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos como este em seu e-mail.

NOSSAS POSTAGENS