BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Sem categoria

 

Indicadores de recrutamento e seleção: métricas importantes!


Os indicadores de recrutamento e seleção medem a eficiência das contratações.  Eles compõem um conjunto de métricas de destaque, pois sua minuciosa análise permite que o gestor tome decisões mais assertivas e, inclusive, trace as melhores estratégias para o departamento.

Indo mais além, os indicadores de recrutamento e seleção são os responsáveis pela captação dos melhores profissionais do mercado. Eles também tornam os processos seletivos mais curtos, eficazes e sem desperdício financeiro. Curioso para saber mais sobre esse assunto? É só curtir a leitura deste post. Confira!

 

Métricas para análise dos indicadores de recrutamento e seleção

Existem 5 métricas que devem ser aplicadas no cotidiano das organizações. Elas contribuem para um processo seletivo mais rápido, confiável e alinhado com as necessidades da empresa. Descubra agora quais são!

1. Quantitativo de currículos recebidos

A aplicação dessa métrica tem seu grau de importância, pois se trata de encontrar o candidato ideal para o preenchimento da vaga. Sendo assim, os números sinalizam se os requisitos foram adequados. Por isso, vale considerar os seguintes pontos relevantes:

  • a vaga de trabalho foi divulgada em meios de comunicação eficientes?
  • a descrição do cargo foi bem elaborada pelo setor de RH?
  • a empresa atrai os bons profissionais do mercado? 

Se as respostas forem positivas, a triagem dos candidatos atinge a capacidade de identificar e atrair profissionais diferenciados para sua empresa.

2. Tempo destinado às contratações

O tempo médio para o recebimento de currículos merece destaque entre as métricas. Qualquer gestor sabe que processos seletivos demorados implicam em maiores gastos financeiros e, inclusive, falhas durante as etapas.  

Portanto, se o gestor está com dificuldades para captar determinado número de candidatos, é sinal que ele precisa traçar novas estratégias para a vaga.

3. Custo com rotatividade de colaboradores

Avaliar a rotatividade é um item indispensável. Essa métrica permite calcular as despesas com rescisões de contratos, custos com contratações e, inclusive, investimentos na qualificação dos colaboradores. Feito isso, é possível entender se o processo é eficaz. Agora, acompanhe as perguntas:

  • os processos internos estão bem alinhados?
  • salários e benefícios correspondem aos praticados no mercado?

As respostas são satisfatórias? Para conferir essas informações, é só dividir os gastos pelo quantitativo de renovações efetuadas. Portanto, o resultado representa o custo com rotatividade!

4. Número de processos finalizados no prazo

Definir um tempo para a finalização de tarefas é algo importante, principalmente no setor de recursos humanos. Falando nisso, se as vagas disponíveis demoram para serem preenchidas, pode ser sinal de problema para atrair talentos.

Portanto, para definir o percentual de atrasos, o gestor deve dividir o quantitativo de processos atrasados pelo número de vagas e multiplicar por 100!

5. Taxa de turnover nas novas contratações

Se ainda não sabe, a taxa de turnover está associada à rotação de talentos. Sendo aplicada em contratações novas, dá para medir alguns processos. Um deles são:

  • qualidade dos processos seletivos;
  • eficiência do onboarding (treinamento de novos colaboradores nos primeiros dias de trabalho);
  • capacidade da empresa reter novos talentos.

Para saber se sua empresa está no caminho certo, é só dividir o quantitativo de colaboradores demitidos pelo número de talentos contratados.

 

Por tudo que representam, os indicadores de recrutamento e seleção assumem o papel de métricas estratégicas do RH por ser um processo capaz de captar incríveis talentos e, sobretudo, propõem melhorias que contribuem para a conquista dos melhores resultados organizacionais.

Gostou do post? É só compartilhar em suas redes sociais!

 

 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Sem categoria

 

Descubra como ser um gestor de sucesso em 5 passos


Com o mercado muito mais competitivo, quem está à frente das decisões da empresa precisa se preocupar cada vez mais em ser um gestor de sucesso, conduzindo a organização ao crescimento contínuo e a um futuro próspero.

Pensando em ajudar você nessa missão, preparamos 5 dicas de como alcançar o sucesso na sua gestão, melhorando os resultados. Quer saber quais são elas? Continue lendo e descubra! 

1. Invista tempo em planejamento

O primeiro passo para ser um gestor de sucesso é, sem dúvida, investir tempo em planejamento estratégico. Muitas empresas não conseguem acertar os processos porque falharam no momento de traçar os planos.

Sendo assim, é fundamental começar por aí, definindo os objetivos e metas da empresa, fazendo análises de mercado e determinando quais serão os passos para chegar. Além disso, é preciso estabelecer como acompanhar os resultados e ajustar o planejamento quando necessário. 

2. Oriente a empresa à inovação

Outro ponto imprescindível é ter foco em inovação. Quando falamos de inovação, estamos falando de tecnologia sim, mas não apenas de tecnologia, mas de monitorar frequentemente os métodos utilizados para melhorá-los por meio de novas formas de fazer as mesmas coisas ou mudanças nos procedimentos.

Sendo assim, você pode e deve utilizar ferramentas de qualidade, como a métrica NPS, para verificar os processos, medindo a eficiência deles, a satisfação de clientes e colaboradores. A partir daí, é possível traçar estratégias de aprimoramento, encontrando métodos mais produtivos e também implementando tecnologia. 

3. Automatize os seus processos 

Falando em uso da tecnologia para melhorar processos, não podíamos deixar a automatização de fora dessa lista. Substituir tarefas onerosas por automáticas é o caminho. Nesse sentido, você precisa procurar por sistemas que possam substituir os humanos em demandas que não agregam valor ao negócio.

Além de economizar o tempo da equipe, tornando o trabalho mais produtivo — afinal, todos estão focando naquilo que realmente importa, a automatização diminui custos, e também evita erros humanos e retrabalhos. Isso reflete diretamente nos resultados, já que tudo se torna mais rápido e eficiente. 

4. Reveja as métricas periodicamente

Até pincelamos esse aspecto quando falamos de planejamento, porque de fato é impossível fazer gestão sem medir resultados, afinal, como você vai saber se está alcançando as metas da forma pensada e dentro do prazo estipulado? Lembra que é preciso definir indicadores para acompanhar o desempenho do planejamento? Pois bem. 

A atuação da empresa não é algo estático e gestão não é uma ciência exata. Sempre há eventos no mercado, mudanças no público consumidor e tudo isso precisa ser considerado. Sendo assim, é preciso ir ajustando o planejamento e as métricas periodicamente, combinado?

5. Faça parcerias estratégicas

A última dica para ser um gestor de sucesso é contar com as melhores parcerias e ser estratégico para garantir os melhores resultados para a empresa. O ideal é que você não aplique esforços naquilo que não faz parte do business, encontrando experts no assunto para ajudar nos desafios da gestão

Um bom exemplo disso é implementação da tecnologia a favor do negócio: você pode e deve contar com uma empresa que pensa, implementa e auxilia nessa questão, como a Senior Noroeste. Quer saber como alcançar a eficiência nos processos da empresa? Entre em contato e descubra como podemos ajudar! 

NOSSAS POSTAGENS


 

 

 

BLOG / NOTÍCIAS > Categoria: Sem categoria

 

Open Banking: inovação para o sistema financeiro.


O mercado financeiro está mudando bastante e um dos fatores para isso é o open banking. Mas você sabe do que se trata? Quais são os benefícios e o conceito dessa mudança? Quais são os impactos nas empresas e para os consumidores? Quer saber tudo isso? Continue a leitura deste artigo e descubra!

O que é open banking?

O open banking é uma proposta de padronização e integração de todo o sistema financeiro no Brasil. A ideia é construir um ambiente integrado, seguro e transparente para que a comunicação entre diferentes instituições financeiras se torne mais simples e eficiente. A tecnologia é o que possibilita tudo isso, otimizando todas as operações e processos necessários para colocar o conceito em prática.

Como a própria tradução livre do termo indica — sistema bancário aberto —, a ideia é democratizar e tornar todo o mercado financeiro mais transparente. A redução de custos é um exemplo de benefício para as instituições, assim como a maior autonomia para criação de produtos e serviços mais atrativos para os clientes finais.

Quais são os benefícios do open banking?

Mas, na prática, como o open banking vai modificar o cenário do mercado financeiro? Confira!

Custos menores

Com o open banking, o sistema se torna mais fluído para todas as instituições que quiserem fazer parte do ambiente. Assim, operações se tornam muito mais em conta para as empresas, o que acaba se refletindo em melhores resultados financeiros e, é claro, a possibilidade de cobrar menos dos consumidores finais.

Incentivo à modernização do setor financeiro

Ter informações mais completas sobre os clientes impacta diretamente no valor e na experiência que as instituições podem oferecer para ele. O objetivo é, dessa forma, criar produtos e serviços cada vez mais personalizados e relevantes para o consumidor. Sem achismos, tudo feito a partir da análise de dados e informações relevantes sobre o comportamento do público-alvo.

Segurança das informações

O vazamento de informações e dados sigilosos é uma dor de cabeça para muitas instituições. Afinal, um erro pode significar a perda da confiança de todo o mercado naquela empresa. Com o open banking, todo o sistema se torna muito mais seguro, proporcionando mais garantias para as instituições de que o seu sistema está sempre protegido.

Aumento da competitividade e transparência

Outro ponto positivo é o aumento da competitividade no mercado. Empresas que não têm uma base tão grande de clientes podem competir com as instituições mais dominantes. Como? A partir do acesso aos serviços e produtos que podem ser adicionados aos seus portfólios ou até mesmo com a análise de informações e detalhes sobre os consumidores.

Empoderamento do cliente

Esse cenário de alta competitividade também se reflete na oferta de preços mais atrativos para os consumidores. Ou seja, pegar um empréstimo para fazer o financiamento de um veículo, por exemplo, pode se tornar uma operação mais barata, já que mais ofertas estarão disponíveis. Em resumo, o cliente passa a acessar portfólios mais completos e com valores mais atrativos.

 

Quer saber mais sobre os impactos da transformação digital no seu negócio? Entenda como o a inteligência de dados pode ajudar a sua empresa!

NOSSAS POSTAGENS