armazenagem – Senior Noroeste Paulista

 

BLOG / NOTÍCIAS > Tag: armazenagem

 

Entenda o que é MRP e quais são os benefícios para a indústria


Caso você ainda não saiba o que é MRP (Manufacturing Resource Planning, ou Planejamento de Recursos de Manufatura, em português), chegou a hora de entender do que se trata e, principalmente, entender quais são as vantagens de adotá-lo na sua empresa. Todo negócio busca alternativas para otimizar seus processos, ter mais produtividade e, como consequência, também aumentar seus lucros.

Nesse sentido, o planejamento é essencial para manter a saúde do seu negócio, tanto em aspectos financeiros, quanto contábil e logístico.

Existem dados que mostram que até 60% das empresas fecham as portas no Brasil após 5 anos no mercado. Isso se deve, em grande parte, por uma gestão inadequada e que não investe em recursos que melhorem o setor produtivo.

Dito isso, venha entender o que é MRP e quais são os benefícios de adotar esse conceito.

 

O que é MRP?

O conceito de MRP começou a ser difundido ainda na década de 1960, um pouco depois do fim da Segunda Guerra Mundial. Desde então, o sistema vem sendo trabalhado em indústrias de todo o mundo — afinal, de lá para cá, muita coisa mudou e a tecnologia avançou como nunca.

O MRP pode ser definido como Manufacturing Resource Planning ou Material Requirements Planning — que significa “Planejamento de Recursos de Manufatura” e “Planejamento das Necessidades de Material” — e é um modelo de contabilização.

Dessa forma, há uma base de cálculos que são usados para medir indicadores industriais, como a quantidade de matéria-prima necessária para determinada atividade, a capacidade de trabalho de uma máquina, dentre outros usos. Com isso, é possível prever e otimizar processos, uma vez que a contagem ajuda a saber quantidades mais precisas e evitam desperdícios (e prejuízos) — na indústria.

Portanto, as indústrias utilizam essa ferramenta para elencar materiais necessários na cadeia produtiva, calcular quantidades, em quais etapas os materiais são alocados e outros aspectos relacionados ao planejamento.

 

Como o MRP pode ser integrado ao ERP?

O sistema ERP significa Enterprise Resource Planning, que reúne informações que facilitam processos dentro da indústria. Por ter um banco de dados comum, todas as informações contidas nele podem ser acessadas pelos diversos setores dentro da empresa. Por isso, existem semelhanças entre o ERP e o MRP.

Contudo, esses sistemas podem ser integrados para que trabalhem em conjunto. Quanto mais os sistemas ERP se desenvolvem, mais eles se afastam dos processos de fabricação — uma vez que abrange áreas como contabilidade, recursos humanos, cadeia de suprimentos e até mesmo o setor de marketing.

Desse modo, integrar o MRP com todo o seu detalhamento sobre a necessidade de materiais ao ERP faz com que as informações industriais sejam mais completas. Em outras palavras, o MRP tem foco na fabricação (estoques, armazenagem, pedidos, prazos, etc) e o ERP se concentra em atividades de gerenciamento do negócio.

A partir disso, é possível criar um fluxo de dados com a integração dos dois sistemas, o que organiza e fornece informações para todos os departamentos da empresa e agiliza o gerenciamento. Além disso, otimiza a produção por conta do banco de dados centralizado e deixa a fábrica mais enxuta.

 

Quais os benefícios dessa ferramenta para as empresas?

Assim como a utilização de outras ferramentas de gestão, o MRP apresenta uma série de benefícios para a indústria. A implementação eleva o nível de eficiência e as operações envolvidas na fabricação são mais ágeis.

Então, conheça quais são as vantagens do MRP na indústria.

Planejamento mais estratégico

O funcionamento de qualquer empreendimento depende muito do planejamento que foi traçado e de como a gestão é feita. Nesse contexto de manter tudo em ordem, o MRP assegura às empresas a terem um planejamento de produção mais estratégico e apurado.

Isso é possível porque o sistema pode ser atualizado em tempo real. Ou seja, os dados são inseridos e automaticamente todos os usuários já conferem a mudança. Dessa maneira, observa-se ocorrências nas linhas produtivas, faz-se a gestão de estoque e a organização consegue ter uma visão mais ampla de toda cadeia de produção.

Como resultado, qualquer mudança ou interferência é notada e corrigida antes que se sucedam outros problemas. O MRP permite que gestores e trabalhadores percebam as urgências da fábrica e busquem soluções a tempo, antes de provocar qualquer tipo de atraso na produção.

Diminuição de atrasos

A capacidade de processamento de dados do MRP é bastante elevada. Portanto, o sistema calcula tempo, necessidades de materiais e outras estruturas complexas de diferentes níveis com máxima rapidez — sobretudo em comparação com sistemas antigos, como é o caso das antigas planilhas que os dados eram inseridos e atualizadas manualmente.

O tempo gasto com atualizações, envios de informações de um setor para o outro e outros tipos de demandas consomem minutos preciosos na indústria. Diante disso, o MRP serve para otimizar e melhorar a comunicação, em que todos os envolvidos conseguem visualizar as demandas, tempo de cada etapa, desempenho de produção e outras informações relevantes.

Assim que identifica uma falha, o gestor já consegue direcionar pessoal e recursos para solucionar a questão. As ações imediatas fazem com que tudo se mantenha em constante movimento e há uma considerável diminuição dos atrasos em decorrência de uma comunicação ineficaz — além de manter um padrão de qualidade mais elevado.

Investimento enxuto

O setor industrial costuma trabalhar com demandas altas, o que torna as fábricas locais mais instáveis em relação a erros. Uma simples falha pode gerar prejuízos altos e a necessidade de refação.

Por outro lado, com um sistema MRP os cálculos são realizados com maior precisão e os recursos são alocados voltados para compra de matérias-primas, componentes e outras ferramentas úteis. Além disso, também são geradas ordens de produção, solicitação de compras e outros aspectos que envolvem uma gestão mais eficiente das ordens de compras e produção.

Considerando todos esses fatores, o MRP analisa o BOM (Bill of Materials) e demonstra a previsão da produção, tornando o processo claro e o investimento mais enxuto.

Maximização do uso de recursos

Assim como os investimentos são mais enxutos, o orçamento também é otimizado por meio da maximização do uso de recursos. O sequenciamento das ordens, fluxos de consumo, cálculos sobre o estoque e reposição de produtos e mercadorias e lead time de entregas também são fatores importantes que sofrem os impactos da utilização do MRP.

Muitas indústrias ainda têm dúvida sobre o que é MRP e como ele pode ser usado para melhorar os processos.

 

Agora, você já sabe que o sistema garante maior eficiência e é fundamental para a gestão no setor industrial.

Para finalizar, o que acha de ver algumas dicas para reduzir gastos na sua empresa? Veja 8 dicas de redução de custos!